Jornal Tribuna Ribeirão
Economia

Produção de café deve ser de 46,9 mi de sacas

© Arquivio/Marcelo Camargo/Agência Brasil

O país deverá produzir aproximadamente 46,9 mi­lhões de sacas de café benefi­ciado, de acordo com o 3º Le­vantamento da Safra 2021 do produto, divulgado pela Com­panhia Nacional de Abasteci­mento (Conab) nesta semana. O número representa uma di­minuição de 25,7% em relação ao resultado da safra de 2020. A área em produção, por sua vez, é atualmente estimada em 1,8 milhão de hectares, 4,4% menor que a safra anterior.

O levantamento da Co­nab ocorre em um momento em que mais de 95% das áreas plantadas já foram colhidas. O resultado da pesquisa de cam­po confirma, portanto, uma re­dução considerável na produ­ção, em comparação à safra anterior, que foi considerada recorde. Além dos efeitos fi­siológicos da bienalidade ne­gativa, observados em diver­sas regiões produtoras neste ciclo, os motivos para a redu­ção também incluem as con­dições climáticas adversas de seca em muitas localidades e as geadas, que ocorreram em junho e julho.

Estes fatores influencia­ram tanto para redução do rendimento médio como para a diminuição da área em pro­dução. A produção de café arábica está estimada em 30,7 milhões de sacas, 36,9% a me­nos se comparado ao volume produzido na safra anterior. O conilon, por sua vez, deve al­cançar uma produção de 16,15 milhões de sacas, o que indica um aumento de 12,8% sobre o resultado obtido em 2020.

Produção regional
O estado de São Paulo tem produção estimada em quatro milhões de sacas de café arábica. Isso representa uma redução de 35,1%, em comparação à safra anterior, que chegou a pouco mais de seis milhões de sacas.

A produtividade média em São Paulo para esta safra ficou em 20,2 sacos por hec­tare, e o café está praticamen­te todo colhido. Assim como nos demais estados produto­res, o cultivo do café em São Paulo foi afetado, principal­mente, pela bienalidade ne­gativa e pelo clima, marcado pela ausência de chuvas du­rante todo ciclo produtivo.

As principais regiões pro­dutoras no estado são Franca, São João da Boa Vista, Garça, Marília e Tupã. Com relação à área em produção, esta é da ordem de 198 mil hectares, contemplados basicamente nos municípios citados. Vale lembrar ainda que os efeitos das geadas, ocorridas nos meses de junho e agosto pas­sados, deverão ser sentidos mais na safra de café de 2022, uma vez que o café estava na fase final de colheita quando esse evento climático adverso se manifestou, tendo ocorri­do em regiões pontuais.

Mercado
Após o recorde de 43,9 milhões de sacas de 60 qui­los na exportação brasileira de café em 2020, os volumes exportados no acumulado dos oito primeiros meses de 2021 atingiram um patamar ainda mais elevado do que o observado em igual período do ano passado.

De janeiro a agosto de 2021, o Brasil já exportou cerca de 28,4 milhões de sacas de 60 quilos em equivalente de café verde, um aumento de 8,7%. Essas exportações tendem a continuar aquecidas em razão da valorização do café no mer­cado internacional e da taxa de câmbio elevada no Brasil.

Mais notícias

Inflação nos supermercados é de 1,53%

Redação 1

Secretários do Ministério da Economia pedem exoneração

Redação 1

Auxílio Brasil será de R$ 400 em 2022

Redação 1

Preços de tomate e cenoura sobem

Redação 1

Preço do etanol bate novo recorde

Redação 1

Petrobras tem demanda para novembro acima da capacidade de produção

Redação 1
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com