Protesto contra o arquivamento

0
279

Duas munícipes levaram cartazes e uma boneca cor-de­-rosa à Câmara, nesta terça­-feira, 31 de outubro, para pro­testar contra o arquivamento da denúncia de quebra de de­coro parlamentar contra o ve­reador afastado Waldyr Villela (PSD). Na segunda-feira (30), o Conselho de Ética decidiu, por unanimidade, engavetar a representação. O processo foi aberto após a Polícia Civil ins­taurar, a pedido do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), inquérito para investigar o par­lamentar pela suposta prática de cinco crimes.

Ele nega a prática de atos ilícitos. O vereador é investiga­do pela Polícia Civil e pelo Ga­eco por exercício irregular da medicina (artigo 282 do Có­digo Penal), uso de documen­to falso (304), peculato (312), corrupção passiva e ativa (arti­gos 317 e 333) e associação cri­minosa (288). Ele arrolou oito testemunhas e todas elogiaram o trabalho do parlamentar.

A Câmara de Veradores aprovou nesta terça-feira (31) o projeto de resolução da Mesa Diretora que cria uma Comissão Especial de Estudos (CEE) para analisar a possível privatização do Departamento de Água e Esgotos de Ribeirão Preto (Da­erp). O requerimento foi apre­sentado por Lincoln Fernandes (PDT) com base em gravação e conversa entre o ex-diretor técnico da autarquia, Waldo Vilani Junior, e alguns funcio­nários – ele pediu exoneração. Será a 21ª CEE simultânea.

IPM e Educação – Tam­bém foi aprovado o projeto de reestruturação do Instituto de Previdência dos Municipiários (IPM). A superintendente do órgão, Maria Regina Ricardo, esteve na sessão acompanhando a votação. Alessandro Maraca (PMDB) conseguiu convocar a secretaria municipal da Edu­cação, Suely Vilela, para prestar esclarecimentos sobre a trans­formação de escolas municipais de período integral em parcial.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui