Quais as previsões para 2018?

0
729

Como será 2018? Qual será o papel do Brasil na Copa do Mundo da Rússia? E as eleições para presidente e govenador do Estado? A Operação Sevandija, em Ribeirão Preto, prosseguirá? O ano que vem será de maneira geral bom para nós, brasileiros? Pensando nesses assuntos, a re­portagem do Tribuna procurou dois especialistas em previsões e as respostas você confere ago­ra.

Betho Júnior é terapeuta holístico reconhecido em Ri­beirão Preto. Começou na área em 1981 e é um estudioso do assunto. Desenvolve trabalhos de consultas de tarô e numero­logia, além de terapias holísticas, como florais de Bach, reflexolo­gia, auriculoterapia e acupun­tura, cromoterapia, radiestesia, mapa astral entre outros.

A outra entrevistada é Cé­lia Siqueira, taróloga, grafóloga (pessoal, empresarial e crimi­nal), quiróloga, terapeuta ho­lística, psicóloga e escritora. Como psicoterapeuta utiliza a Programação Neurolinguística (PNL) e Terapia de Vidas Pas­sadas (TVP). Ministra palestras em todo Brasil e realiza diversos cursos em seu instituto.

Antes das previsões pontu­ais, Betho Júnior fez um apa­nhando sobre os regentes de 2018, nas áreas de astrologia, anjo regente, horóscopo chi­nês e lâmina de tarô. Segundo ele, estamos saindo de uma regência do planeta Saturno e entrando em 2018 em Júpiter. “Saturno é um planeta pesado e de cobrança, haja vista essa podridão na política. Agora entramos em Júpiter, o maior planeta do sistema solar. Agora teremos épocas de fartura e boa ventura”, diz. “Teremos com Júpiter um ano mais leve e de prosperidade”.

Na numerologia, Betho Jú­nior explica que estamos entran­do no ano 11 (a soma dos nú­meros que compõem 2018). “É o ano 11 que volta para 2, a soma de 1 mais 1. É um número que agrega, encoraja e aconselha. Traz equilíbrio e mostra a importância do outro na vida das pessoas”, re­vela. Diz ainda que os números nas cartas do tarô são relaciona­dos à força, o 11, e à sabedoria, o 2. “Quem administrar essas duas questões, força e sabedoria, terá grande sucesso. Fora isso, será um ano excitante, mas temos que ter controle das situações”.

Indo para o horóscopo chi­nês, 2018 será o ano do cachorro, símbolo da lealdade, vigilância e conquista. “As pessoas vão saber mostrar um pouco mais da sua amabilidade”. No esoterismo, sa­ímos em 2017 dos orixás Oxum (beleza, amor e fertilidade) e Oxosi (caça) para entrar no ano de Xangô e Obaluaiê. “Xango é um orixá da justiça e cobrança. Depois do que foi descoberto em 2017, neste ano a cobrança e a jus­tiça serão maiores. Já Obaluaiê é o orixá das grandes descobertas científicas, da cura. Muito prova­velmente será um ano de desco­berta de cura para doenças”, fala.

Já no anjo regente, 2018 será o de Raziel, o príncipe dos che­rubins. Segundo Betho Júnior, é um anjo ligado à cura e novas ideias, além de ser indicativo da união do novo e do velho em busca da prosperidade. “São os mensageiros das boas novas, os cherubins”, diz.
Betho Júnior explica que os regentes mostram um cenário geral, mas destaca que as in­terferências podem ocorrer de acordo com cada pessoa, ob­servando, hora, dia, mês, ano de nascimento e local. “As energias são diferentes de pessoa a pes­soa. É necessário fazer uma pre­visão individual se quisermos algo mais detalhado”, finaliza.

Brasil não ganhará a Copa do Mundo – Nas previsões pontuais, Betho Júnior e Célia Siqueira fize­ram suas análises e estudos. Co­meçando pela paixão nacional, o futebol, os dois não têm boas notícias para a seleção coman­dada por Tite. Segundo Betho Júnior, o Brasil chegará próximo às finais da Copa do Mundo da Rússia, mas não ganha o caneco. Célia Siqueira também apresenta previsões parecidas.

Segundo ela, “o Brasil não será vencedor, terá um desem­penho muito difícil em jogo, porém ficará em uma marca próximo ao campeão. Alguns jogadores brasileiros ficarão machucados, pelo menos dois terão acidentes mais sérios em jogos. Alemanha e França serão destaques e grande pos­sibilidade de um deles vencer a Copa 2018”. Betho Júnior, porém, diz que no esporte de uma maneira geral, teremos muitos campeões em outras modalidades esportivas.

Eleições para presidente e go­vernador – Célia Siqueira tem os favoritos nas eleições 2018. Para ela, o governador Geraldo Al­ckimin e o prefeito de São Paulo, João Dória, ambos do PSDB, são fortes nas disputas presidenciais e estaduais, respectivamente. Be­tho Júnior diz que o eleitor estará mais atento e prevê uma queda significante nos números de vo­tos brancos e nulos, mostrando uma participação mais efetiva do eleitorado nos pleitos de 2018.

No cenário político de uma maneira geral, Célia Siqueira aponta a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e que o presidente Michel Temer (PMDB) não finaliza o mandato. “O ano de 2018 não será um ano fácil politicamente para o Brasil, iniciando com a prisão do ex­-presidente Lula, e ainda vivendo muitos escândalos de políticos e corrupções.O atual presidente (Michel Temer) entra 2018 ainda doente, a ponto de não conseguir terminar seu mandato, com a saúde prejudicada durante o pe­ríodo. As eleições serão extrema­mente conturbadas, com vários escândalos políticos ao redor”, indica a especialista.

Sobre Ribeirão Preto, Cé­lia Siqueira faz um apanhado. “Em 2018, para a cidade não será um ano de restruturação, os escândalos políticos em tor­no da ex-prefeita Dárcy Vera só pioram e se descobrem mais partidários envolvidos juntos com ela. Infelizmente, será um distúrbio grande durante todo o ano, um homem surgirá tra­zendo um pouco mais de res­peito e moralidade para a cida­de, vindo de classe humilde ele realmente trará as condições de fazer uma limpeza na cidade, a corrupção na Câmara dos Ve­readores ainda é muito alta e os valores descobertos ainda serão muito assustadores para toda a cidade”, finaliza.

Betho Júnior faz uma analo­gia ao falar sobre a Operação Sa­vandija. “Digo o seguinte, fomos pescar você e eu, cada um com seus equipamentos. Pegamos peixes que não pensávamos que fôssemos pegar, mas sabemos que tem peixes. Agora vão voltar para passar a rede e pegar outros peixes maiores”, finaliza.

Comentários