O presidente eleito Jair Bol­sonaro fez um apelo às bancadas do MDB e do PRB na Câmara para “jogarem” juntos com o novo governo na votação das reformas previdenciária e tra­balhista. Em um encontro na tarde desta terça-feira, 4, com deputados emedebistas, ele che­gou a fazer um apelo para evitar a “tristeza” de uma possível volta do PT ao poder. “Se tudo der er­rado, os senhores sabem quem voltará depois de mim, vai ser muito triste para o Brasil, ape­sar dos pesares”, afirmou. “É um apelo, uma palavra de amizade, vamos jogar juntos.”

Na conversa com os deputa­dos, Bolsonaro sugeriu que, se o Legislativo atuar em parceria com o governo, os parlamenta­res poderão usufruir da mesma popularidade que ele. “A única coisa que posso garantir é que somos diferentes dos demais, e isso fez a diferença (nas elei­ções), foi dado o recado e gos­taria que todos fossem tratados como eu sou quando saio nas ruas”, ressaltou. Em seguida, voltou a pedir apoio da bancada do MDB em especial para vota­ções de mudanças na legislação do trabalho. “A reforma tra­balhista, devemos aprofundar isso aí. Ninguém mais quer ser patrão no Brasil, é horrível ser patrão no Brasil com esta legis­lação que está aí.”

Ele destacou que busca es­treitar as relações comerciais com os Estados Unidos. “Vamos aprofundar o relacionamento”, disse. “Podemos ter uma grande parceria pela frente”, completou. “Havia certa tradição de não termos simpatia com os ameri­canos”, afirmou, numa crítica a governos passados. Na tentativa de aparar arestas e se aproximar do MDB, Bolsonaro propôs um “entendimento”. “Não vai ser uma pessoa que vai mudar o destino da nossa nação, é um grupo de pessoas e grande parte deste grupo está presente aqui”, afirmou.