Reabertura de lojas pode ser suspensa

0
676
JF PIMENTA/ESPECIAL PARA O TRIBUNA

“A responsabilidade é co­letiva, os fiscais somos todos nós. Se não houver respeito aos protocolos sanitários do últi­mo decreto, não hesitaremos em retroceder às restrições da fase um, pois o compromisso de todos nós é com a vida da população de Ribeirão Preto.” Essa foi a mensagem do pre­feito Duarte Nogueira Júnior (PSDB) ao transmitir à po­pulação os dados do Boletim Epidemiológico desta segun­da-feira, 1º de junho, quando teve início o processo de reto­mada consciente de atividades econômicas na cidade.

Calçadão lota no primeiro dia de flexibilzação: prefeito ameaça suspender decreto de reabertura se a população não respeitar o isolamento

Devido ao grande número de pessoas nas ruas da cidade na manhã e tarde desta segun­da-feira, com o calçadão lotado, Duarte Nogueira enfatizou a manutenção das regras de qua­rentena e destacou a importân­cia da conscientização coletiva. “Quero mais uma vez deixar muito claro, enfatizar com extre­ma clareza: nós não saímos da quarentena, o isolamento social deve permanecer. Houve uma liberação parcial para que a nossa economia, os empregos e a renda das pessoas voltasse a se fortalecer, mas se continu­ar todo mundo na rua, como aconteceu hoje, nós provavel­mente vamos ter que retroce­der e voltar com as restrições.”

O prefeito disse que pode suspender a retomada das ati­vidades do comércio em geral (de rua), shopping centers, con­cessionárias de veículos, imobi­liárias e escritórios já a partir da próxima semana se a população não respeitar a quarentena e o distanciamento social. A reto­mada das atividades vale pela próxima quinzena, até 14 de junho, período em que a cidade precisará manter baixos os índi­ces de contaminação, ocupação de Unidades de Terapia Intensi­va (UTIs) e óbitos por covid-19, para que não retroceda nas medidas de isolamento e ainda avance de fase, o que permitirá a volta de outros segmentos, como os salões de beleza e barbearias.

Fila na loja: parte do comércio reabriu nesta segunda-fei­ra, com horário reduzido, e muita gente foi às compras

O prefeito também infor­mou ter participado na manhã desta segunda-feira de reunião com o Comitê Municipalista, juntamente com prefeitos de outras 16 cidades paulistas, para avaliação do primeiro dia de re­tomada. Os dados das regiões serão analisados pelo governo estadual e os resultados serão comunicados na quarta-feira à imprensa e à população. “Para que nossa cidade evolua na es­cala, é importante que a popula­ção tenha consciência de manter distanciamento de dois metros, fazer uso de máscara e sair de casa apenas quando necessário”, disse o prefeito.

Nesta fase, comércio de rua e concessionárias de veículos podem abrir de segunda à sexta­-feira, das dez às 16 horas, e aos sábados, das dez às 14 horas. Já os shopping centers têm permis­são para atender de segunda a sábado, das 16 às 20 horas, e o atendimento em escritórios vai de segunda à sexta, das nove às 13 horas. Cada estabelecimen­to só pode atender, por dia, até 20% de sua capacidade máxi­ma – o mesmo percentual vale para os estacionamentos dos centros de compras.

Os quatro shopping centers de Ribeirão Pretro também voltaram a atender ontem

Força-tarefa notifica cinco estabelecimentos
O Departamento de Fiscalização Geral e a Guarda Civil Metropolitana (GCM) vistoriaram nesta segunda-feira, 1º de junho, primeiro dia da flexibilização de atividades econômicas, 38 estabelecimentos. Deste total, cinco foram notificados por descumprimento do decreto. Entre as irregularidades constatadas estão a falta de material para higienização (álcool em gel), aglomeração dentro do estabelecimen­to impossibilitando o distanciamento, não cumprimento do horário estabelecido para abertura e consumo no local.

Também foi detectada que a capacidade de ocupação de 20% do es­tabelecimento foi respeitada na maior parte do comércio, porém, for­maram-se filas fora dos estabelecimentos. Os dois setores também estão orientando os munícipes que transitam pelo calçadão quanto ao distanciamento social e o uso de máscaras de proteção. Denún­cias de desrespeito as regras de flexibilização podem ser feiitas por meio do Serviço de Atendimento ao Munícipe (SAM, telefone 156), de segunda à sexta-feira, das sete às 19 horas, e pelo 153 da GCM, que funciona ininterruptamente.

Fiscalização Geral e Guarda Civil Metropolitana vistoriaram 38 estabelecimentos e notificaram cinco por descumprir decreto

O Sindicato do Comércio Varejista de Ribeirão Preto (Sincovarp) e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-RP) desenvolveram uma cartilha eletrônica para ajudar os comerciantes da cidade nesse momento de reabertura gradual do varejo, com informações que são realmente essenciais para o momento, sem misturar assuntos e sem complicação para o lojista entender. Traz gráficos e tabelas ilustrativas. A Cartilha de Reabertura do Comércio Varejista está disponível para download gratuito desde o último final de semana, nos sites www.sincovarp.com.br e www. cdlribeiraopreto.com.br, na área “Materiais para Download”.

Já a Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto (Acirp) en­viou um oficio à prefeitura solicitando esclarecimentos sobre o horá­rio de funcionamento de lojas e escritórios estabelecido pelo decreto nº 119/2020. O documento permite o funcionamento durante quatro horas para as modalidades enquadradas na flexibilização, mas não deixa claro se o período está limitado ao horário de atendimento ao público, com portas abertas, ou compreende o período total de funcionamento dos estabelecimentos, com trabalho interno.