Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, sugeriu não ter sido consultado pelo presidente Jair Bolsonaro a respeito da de­cisão de cancelar o reajuste do diesel que havia sido decidido pela Petrobras. Perguntado se não havia sido informado sobre a interferência do presidente nos preços da Petrobras, Guedes res­pondeu: “É uma inferência razo­ável, aparentemente.”

Depois de uma série de reuniões no Fundo Monetário Internacional (FMI), em Wa­shington, Guedes foi pergun­tado a respeito da decisão de Bolsonaro. “Eu não sei do que vocês estão falando”, respondeu o ministro. “Eu passei o dia in­teiro trabalhando, não tenho in­formação suficiente.”

Nas vezes em que foi ques­tionado se havia sido consultado sobre a decisão de Bolsonaro de cancelar o reajuste, Guedes afirmou: “Eu tenho um silêncio ensurdecedor com os senhores.”
O ministro afirmou não querer comentar o assunto.

  • Eu queria conversar com vocês sobre o andamento do dia (em Washington), aí acon­teceu alguma coisa lá que eu vou ter que me informar, por­que eu passei o dia na sala en­quanto vocês estavam tendo informação – disse Guedes.

O ministro está em Wa­shington para a reunião de primavera do FMI e do Banco Mundial. Também participa de encontros do G-20 e dos Brics, além se reunir com investido­res e autoridades.

Comentários