Retomada do setor – Aposta será no turismo doméstico

0
44
KEN CHU/EXPRESSÃO STUDIO

Em videoconferência na última quarta-feira (29), o mi­nistro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, afirmou que o turismo doméstico pautará a retomada do setor no país após a pandemia. Segundo ele, o Ministério do Turismo já está trabalhando em um pla­no que será puxado por uma grande divulgação dos desti­nos nacionais e a integração entre os modais de transpor­te, fazendo com que destinos próximos possam ser visitados em uma só viagem.

A estância turística de HOLAMBRA fica na região metropolitana de Campinas. Conhecida como a
“Cidade das Flores”, o nome Holambra representa a união de brasileiros e imigrantes holandeses
que muito contribuíram para a formação e desenvolvimento do município. FOTO: KEN CHU/EXPRESSÃO STUDIO

“Vamos ter um amplo plano de promoção nacional do turismo brasileiro incen­tivando a nossa população a fazer o turismo doméstico e conhecer a nossa diversidade de destinos. Com isso, o ob­jetivo é retomar o turismo do Brasil aos patamares já atin­gidos nos últimos tempos, transformando o potencial em realidade e em geração de emprego e renda para todos os brasileiros”, concluiu Álva­ro Antônio.

De acordo com o minis­tro, a retomada só será pos­sível após a sobrevivência do setor. Para isso, Álvaro Antônio destacou a linha de crédito de até R$ 5 bilhões que deverá ser liberada pelo Ministério da Economia para ajudar os trabalhadores e em­preendedores do Turismo do país. “Essa medida provisória vai atender em 80% os micro e pequenos e 20% as empre­sas de médio e grande porte que prestam serviços turísti­cos no país. Vamos trabalhar para que este recurso possa ser ofertado de forma atrativa e com facilitações”, pontuou.

A estância climática de ATIBAIA, fica em uma região de serras, no complexo da Serra da Mantiqueira, atraindo turistas de todas as par­tes do mundo, devido ao seu reconhecido clima serrano privilegiado e da beleza natural. FOTO: ELIAS GOMES/EXPRESSÃO STUDIO

No início do mês, o Mi­nistério do Turismo publicou portaria que flexibiliza as re­gras de empréstimos do Fun­do Geral do Turismo (Funge­tur). Entre as medidas estão a redução dos juros para capi­tal de giro de 7% para 5% ao ano e a ampliação da carência do início de pagamento das parcelas de 6 meses para 1 ano. A contratação do crédi­to é permitida a prestadores de serviços elencados no art. 21 da Lei 11.771/2018 e que estejam devidamente inscri­tos no Cadastur, o cadastro oficial de operadores da área.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, durante entrevista online, falou sobre as perspectivas para o setor após a pandemia. FOTO: ROBERTO CASTRO/MTUR