Ribeirão Preto – Abertura de empresas cresce 248,54%

0
26
JF PIMENTA /ARQUIVO

Um levantamento feito pela Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto (Acirp) com dados do escri­tório da Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp) no município aponta cresci­mento de 248,54% no saldo de abertura de empresas nos me­ses de junho e julho de 2020, em comparação a abril e maio deste ano. O resultado indica o início da retomada econô­mica na região.

Segundo dados da Jucesp, em oito meses, entre 1º de ja­neiro e 31 de agosto, em Ribei­rão Preto, foram constituídas 3.174 empresas. O número representa 54,9% dos 5.780 novos Cadastros Nacionais de Pessoa Jurídica (CNPJs) feitos no ano passado inteiro. O ano de 2020 teve um início positivo, com um aumento relevante na abertura de empresas em rela­ção a 2019.

O mês de janeiro registrou um aumento de 331,64% no saldo de abertura de empresas em comparação ao mesmo mês em 2019. De fevereiro a março, entretanto, os números mostraram forte queda com redução de 68% e 29% na aber­tura de empresas nos meses de abril e maio, respectivamente.

Desde junho, o indicador vem mantendo bons resulta­dos. Em julho foi observado um aumento de 218% no saldo de empresas abertas em com­paração com o mesmo mês de 2019. Os resultados refletem a retomada econômica na re­gião, segundo o economista da Acirp, Gabriel Couto.

“Os dados de abertura de empresas indicavam um bom momento no início do ano, com crescimento considerá­vel em relação a 2019, que foi interrompido pela pandemia. Após dois meses de piora sig­nificativa em abril e maio, os números passaram a indicar alguma recuperação, que coin­cide com os estágios iniciais de retomada econômica.”

O saldo foi calculado sobre os pedidos de abertura de em­presas realizados na regional da Jucesp em Ribeirão Preto, sub­traindo o número de pedidos de fechamento de empresas. “Os dados vão ao encontro de outros indicadores da retoma­da econômica, mas também apontam a realidade do desem­prego e o desafio do empreen­dedor”, comenta Dorival Balbi­no, presidente da Acirp.

Das empresas abertas em junho e julho, 333 são da cate­goria de empresário individual, 878 são de sociedade limitada (Ltda.), 194 de empresa indivi­dual de responsabilidade limi­tada (Ereli), duas da categoria de sociedade anônima (S/A) e duas cooperativas, totalizando 1.409 novas unidades.

De acordo com o econo­mista da Acirp, esse indicativo deve seguir até o final do ano, conforme a pandemia for ce­dendo no estado de São Paulo. “Na medida em que a econo­mia se recuperar dos impactos da pandemia, a expectativa é de retomada também na aber­tura de novas empresas”, expli­ca Gabriel Couto.

Menos fechamentos de empresas
Ao mesmo tempo que os da­dos de 2020 mostram redução na abertura de novas empresas, os números também apontam redução no encerramento for­mal de empresas. Em abril essa queda foi de 75% na compara­ção com o mesmo mês de 2019.

O movimento pode indi­car dificuldade financeira para os empresários formalizarem o encerramento junto aos órgãos competentes. “A isenção de taxas de abertura implementada pelo governo do Estado no final de agosto já teve impactos nos da­dos preliminares de setembro”, diz Gabriel Couto.

“Por outro lado, isso mos­tra que os empreendedores são sensíveis a esses custos e po­dem estar adiando o encerra­mento formal de empresas que na prática já está desativada”, finaliza o economista da Asso­ciação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto.

Comentários