ALFREDO RISK/ARQUIVO TRIBUNA

O etanol vendido nos mais de 200 postos de Ribeirão Pre­to é o mais barato do estado de São Paulo, segundo pes­quisa da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Bio­combustíveis (ANP) realiza­da entre 25 de novembro e 1º de dezembro em 108 cidades paulistas. O litro do produto ribeirão-pretano também é o único que custa menos de R$ 2,50, demonstra o estudo.

Esta é a primeira vez neste ano que o álcool ribeirão-pre­tano aparece na liderança do ranking dos combustíveis mais baratos. Já ocupou a segunda colocação duas vezes e a tercei­ra posição, uma vez. Outra boa notícia é que, em comparação com o preço de 3 de novem­bro, quando estava em segun­do lugar, o valor cobrado pelo derivado da cana-de-açúcar também recuou.

Em um mês, a retração che­ga a 7,5%, de um valor médio de R$ 2,688 no início de novembro para R$ 2,487 na semana passa­da, desconto de R$ 0,201. Mas o consumidor deve ficar esperto: geralmente, quando uma notí­cia assim é publicada, os preços sobem no dia seguinte.

Há cinco meses, quando apareceu na segunda colocação do ranking dos mais baratos pela primeira vez no ano – acu­mula ainda um terceiro lugar, também em julho –, o etanol ri­beirão-pretano custava, em mé­dia, R$ 2,177, segundo a ANP. Estava atrás apenas do produto comercializado em Franca (R$ 2,088). Agora, o preço médio é de R$ 2,487, alta de 14,3% e acréscimo de R$ 0,310.

Depois de Ribeirão Preto, o álcool mais barato é o de Ibi­tinga (R$ 2,502), seguido pelo produto vendido em Dracena (R$ 2,515). O etanol é mais caro no litoral paulista: o litro custa R$ 3,152 em Caraguata­tuba, R$ 3,099 em Cubatão e R$ 3,014 em Ubatuba.

Nos postos bandeirados de Ribeirão Preto, o litro do ál­cool passou a ser vendido, em média, a R$ 2,40 (R$ 2,397), queda de 4% em relação aos R$ 2,50 (R$ 2,599) cobrados anteriormente, desconto de R$ 0,10, mas a retração na semana passada chegou a 7,7% (abati­mento de R$ 0,20, em média) – custava R$ 2,60 (R$ 2,597) até segunda-feira (26). Ain­da há locais onde o produto é mais caro e custa cerca de R$ 2,70 (R$ 2,699).

Nos sem-bandeira, custa­va R$ 2,42 (R$ 2,419), recuou 1,2%, chegou a R$ 2,39 (R$ 2,389) e agora custa até R$ 2,36 (R$ 2,359). Na semana, a retra­ção chegou a 2%, desconto de R$ 0,05. A variação entre o me­nor preço (independentes) e o maior (franqueados) chega a 14,4% ou diferença de R$ 0,34. O consumidor deve pesquisar porque há locais que praticam valores fora da média, para cima e para baixo.

O preço do etanol hidratado continua em queda nas unida­des produtoras do estado, se­gundo estudo do Centro de Pes­quisas Econômicas (Cepea) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) – vincu­lada à Universidade de São Pau­lo (USP) –, realizado entre o dia 26 e sexta-feira, 30 de novembro. O litro baixou de R$ 1,6330 para R$ 1,6229, retração de 0,62%. Já

Valores médios cobrados em RP
GASOLINA Bandeirados: R$ R$ 4,20 (média) Sem-bandeira: R$ 3,99 (média) Preço médio da ANP: R$ 4,415
ETANOL Bandeirados: R$ 2,40 (média) Sem-bandeira: R$ 2,36 (média) Preço médio da ANP: R$ 2,487
DIESEL Bandeirados: R$ 3,70 (média) Sem-bandeira: entre R$ 3,40 (média) Preço médio da ANP: R$ 3,500