RP aponta déficit de 22 mil doses

0
25
MARCELO CAMARGO/AG.BR.

Na manhã do último sába­do, 3 de abril, o prefeito Duarte Nogueira (PSDB) e o secretá­rio municipal de Saúde, San­dro Scarpelini, reuniram-se com o Conselho Municipalista do Estado de São Paulo, lide­rado pelo secretário de Desen­volvimento Regional, Marco Vinholi, e disseram que Ri­beirão Preto tem um déficit de aproximadamente 22 mil do­ses de vacina contra a covid-19 distribuídas pelo Estado.

Durante a reunião, por vide­oconferência, Nogueira desta­cou a necessidade de mais do­ses para finalizar a imunização do primeiro grupo prioritário do Plano Estadual de Imu­nização (PEI), formado por profissionais de saúde. “Para o envio de vacinas para este gru­po específico, assim como os demais, a base de cálculo uti­lizada foi o Seade (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados)”, diz.

“Porém, notamos no IBGE (Instituto Brasileiro de Geo­grafia e Estatística) que a po­pulação de Ribeirão Preto é bem maior. Há uma diferença de 28.048 habitantes entre uma estatística e outra. Nossa proje­ção, desde o início, era de 32 mil doses para imunizar todos os profissionais de saúde e o município recebeu apenas um pouco mais de 26 mil”, explica.

O secretário de Saúde San­dro Scarpelini apresentou um relatório ao Conselho Mu­nicipalista do Estado de São Paulo com números que, além de revelar o déficit de vacinas, também mostra a necessidade de recalcular o envio de doses aos municípios.

“As perdas técnicas sempre ocorrem quando a enfrascagem é realizada com volume extre­mamente reduzido, sem mar­gem de segurança. É o que vem acontecendo. Na última sexta­-feira (2), aplicamos 4.338 do­ses na faixa etária de 68 anos e já foi contabilizada uma perda de 9,8% do imunizante. É uma perda impactante que deve ser revista”, ressaltou Scarpelini.

Ao todo, segundo dados do governo de São Paulo, das 134.741 doses distribuídas ao município de Ribeirão Preto para aplicação em profissio­nais de saúde e idosos, 113.886 foram aplicadas. Na avaliação de Scarpelini, é necessário cal­cular uma margem extra de 10% no volume de doses en­viadas às cidades, porque parte dos cinco ml de cada frasco se perde nas agulhas e nos êmbo­los das seringas.

Na Sexta-Feira da Paixão (2), idosos de 68 receberam a primeira dose da vacina. O atendimento começou às 8h30 da manhã, em 36 Unida­des Básicas de Saúde (UBS’s), e terminou às 17 horas. Das 4.500 doses ofertadas para essa faixa etária, foram reali­zados 4.063 agendamentos e 3.765 idosos compareceram para serem vacinados.

Além dos idosos de 68 anos, 409 idosos de 69 anos ou mais também receberam a vacina, totalizando 4.209 vacinados na data. Ainda na sexta-feira co­meçou o agendamento para a aplicação da segunda dose da vacina contra a covid-19 em idosos das faixas etárias de 75 e 76 anos que tomaram a primeira dose da Coronavac, imunizante desenvolvido pelo Instituto Butantan em parceria com a biofarmacêu­tica chinesa Sinovac.

Os idosos desta faixa etá­ria vacinados com o imu­nizante da Universidade de Oxford/AstraZeneca terão de aguardar. A campanha de va­cinação acontecerá entre esta terça-feira (6) e quinta-feira, 8 de abril. São seis mil vagas. O cadastro deve ser feito no site da prefeitura de Ribeirão Preto (www.ribeiraopreto.sp.gov.br). Também pode ser re­alizado pelos telefones 3977- 9441 ou 3977-9442.

Os acamados desta faixa etária podem receber a vaci­na em sua própria casa, por meio do Serviço de Aten­ção Domiciliar (SAD). Basta acessar o site da prefeitura e fazer o agendamento. O tele­fone é 3977-7111. Nos locais de vacinação (UBS’s), os ido­sos devem apresentar algum documento oficial com foto – Registro Geral (RG) ou Car­teira Nacional de Habilitação (CNH), entre outros –, Ca­dastro de Pessoa Física (CPF) e comprovante de residência.

O agendamento permite ao idoso escolher o horário e em qual UBS quer ser vacinado. A população de 75 e 76 anos é esti­mada em 6.666 “ribeirão-preta­nos”, e 5.418 já foram imuniza­dos com a primeira aplicação (81,3%), enquanto 92 finaliza­ram o processo (1,4%).

Justiça
O prefeito Duarte Noguei­ra (PSDB) afirmou na quinta­-feira, 1º de abril, que Ribei­rão Preto não vai respeitar a decisão judicial que obriga a Secretaria Municipal da Saú­de a vacinar todos os idosos que procurarem imunização contra a covid-19, indepen­dentemente de agendamento, desde que estejam inseridos dentro da faixa etária da cam­panha de vacinação.

O tucano diz que o muni­cípio vai continuar vacinando apenas quem fizer o agenda­mento no site da prefeitura de Ribeirão Preto. Em 29 de março, o juiz da Vara da In­fância e Juventude e do Idoso de Ribeirão Preto, Paulo Ce­sar Gentile, concedeu liminar ao Ministério Público de São Paulo (MPSP) liberando a va­cinação sem a necessidade de credenciamento prévio. O ma­gistrado impôs multa diária de R$ 10 mil em caso de desobe­diência da ordem judicial.