Jornal Tribuna Ribeirão

RP atinge 109.573 casos de covid-19

© Reuters/Direitos Reservados

Ribeirão Preto registrou mais 145 casos de coronaví­rus em 24 horas – um a cada dez minutos – e, neste ritmo, o número de pessoas infecta­das pelo Sars-CoV-2 na cida­de só deve ultrapassar a bar­reira de 110 mil em outubro. Nesta quinta-feira, 23 de se­tembro, saltou para 109.573, alta de 0,1% em relação aos 109.428 do relatório de quar­ta-feira (22).

Em menos de nove meses de 2021, Ribeirão Preto tem mais de 67 mil casos confir­mados. São 67.593, alta de 61% em relação aos 41.980 do ano passado, 25.613 a mais. Também representa 61,7% de toda a pandemia. A quantidade total de pessoas infectadas equivale a 15,2% da população da cidade, de 720.116 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geo­grafia e Estatística (IBGE).

O recorde de infecções em 24 horas foi registrado em 9 de junho, de 726. O anterior era de 1º de junho, de 667. Fechou agosto com 4.575, média de 148 por dia, o menor volume do ano, mas este número pode crescer. São 1.564 em setem­bro, 71 por dia.

O mês com mais casos da pandemia é maio, com 11.912, média de 384 a cada 24 horas. O recorde do ano passado per­tence a julho (8.626). Segundo o Hemocentro, a incidência da variante Delta em Ribeirão Preto é de 60% para os novos casos. Os dados estão no Bole­tim Epidemiológico, atualiza­do pela Secretaria Municipal da Saúde nesta quinta-feira.

A tendência é de alta na comparação semanal. Entre 9 e 15 de setembro, quando pas­sou de 108.077 para 108.696, mais 619 pacientes foram diagnosticados com covid-19, média móvel de 88 a cada 24 horas. Entre 16 e 22 de setem­bro, saltou de 108.834 para 109.573. São 739 novos casos, 106 a cada 24 horas. O aumen­to chega a 19,4%. São 120 con­tágios a mais.

As notificações desde o início da pandemia chegaram a 247.552, sendo que 134.961 testaram negativo para co­vid-19, ou 54,5% do total. Os 109.573 casos confirmados até agora representam 44,3%. Ri­beirão Preto também aguarda o resultado de 3.018 exames que estão represados nos labo­ratórios (1,2%) – novamente acima de três mil. Os meses com menos casos são março (88, a pandemia começou em meados do mês na cidade), abril (223) do ano passado.

A taxa de transmissão (Rt) continua subindo. Era de 0,56 na semana passada, saltou para 0,66 no início da sema­na, chegou a 0,69 anteontem e nesta quinta-feira (23) esta­va em 0,71, a 16ª mais elevada do estado. Significa que 100 pessoas podem transmitir a doença para outras 71. Ainda assim está abaixo do limite de 1, considerado ideal. A cidade também tem 2.921 mortes em decorrência da covid-19.

Deixe o seu comentário:

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com