RP começa o ano com mais estupros

0
28
MARCELO CAMARGO/AG.BR.

Segundo os dados do le­vantamento “Estatísticas da Criminalidade”, divulgados pela Secretaria de Estado da Secretaria da Segurança Pú­blica de São Paulo (SSP/SP), a incidência de crimes contra o patrimônio recuou em janeiro, mas houve mais homicídios e estupros no mês passado em comparação com o mesmo pe­ríodo de 2020.

Ribeirão Preto registrou cinco homicídios em janeiro, contra quatro do mesmo perí­odo de 2020, um a mais e alta de 25%. Significa uma morte a cada seis dias em 2021. A cida­de fechou o ano passado com 49 homicídios, um a cada sete dias e meio, alta de 16,6% em relação aos 42 do mesmo pe­ríodo de 2019. A taxa de casos por 100 mil habitantes subiu de 5,84 para 6,62.

Não houve latrocínio – roubo seguido de morte – em janeiro. Em 2020 foram regis­trados quatro casos. Somando as duas modalidades – homi­cídios e latrocínios –, Ribeirão Preto terminou o ano passado com 53 assassinatos, cerca de um a cada sete dias e meio, nove a mais do que os 44 de 2019, alta de 20,4%.

A ocorrência de estupros em janeiro deste ano é 160% superior. São 13 casos contra cinco do mesmo mês de 2020, oito a mais. A média é de um a cada dois dias e meio. Cinco crianças ou adolescentes foram vítimas deste tipo de crime no mês passado, 38,5% do total. Esse tipo de crime despencou 24,3% no ano passado, de 74 para 56 casos, 18 a menos em doze meses. Em 44 das denún­cias as vítimas eram vulnerá­veis (78,6%).

Os furtos de veículos re­cuaram 17,7% em janeiro, de 130 para 107. São 23 a menos e a média diária caiu de quatro para três. A queda foi de 32,4% em 2020 – baixou de 1.695 em 2019 para 1.146, ou 549 a me­nos. A média diária caiu para três casos. No mês passado, os roubos de veículos caíram 28%, de 50 para 36, 14 a me­nos. A média é pouco superior a um por dia.

No ano passado, os roubos de veículos caíram 36,7%, de 569 ocorrências para 360, ou 209 a menos em onze meses de 2020. A média baixou) para menos de um (0,9) por dia. A taxa de furto e roubo de veículos por 100 mil ha­bitantes caiu de 330,49 para 216,89. Já os casos por 100 mil veículos de 416,51 para 273,73. A de furto por 100 mil veículos caiu de 311,83 para 208,30 e o de roubo por 100 mil veículos baixou de 104,68 para 65,43 no ano passado.

O índice de recuperação de veículos pelas polícias Ci­vil e Militar aumentou 21,2% em janeiro deste ano, quando 40 foram devolvidos aos do­nos, contra 33 do mesmo mês de 2020. Sete a mais. A média também é pouco superior a um por dia. Em 2020, recuou 59,4%, de 873 em doze meses de 2019 para 354. São 519 a menos. A média diária recuou para menos de um (0,9).

Os casos de furtos em geral recuaram de 765 em janeiro de 2019 para 531 no mês passa­do, queda de 30,6%. A média diária baixou de 24 para 17. Em 2020, essas ocorrências recuaram 30%. A incidência baixou de 8.823 em 2019 para 6.176, redução de 2.647. A mé­dia diária caiu para 17. A taxa despencou de 1.287,94 para 889,44 por 100 mil habitantes.

As ocorrências de roubo – quando a vítima sofre ameaça (entram na estatística os de carga e a bancos) – caíram de 241 em janeiro do ano passa­do para 185 no mesmo mês de 2021. São 56 a menos e queda de 23,2%, com média diária de seis. A retração em 2020 foi de 35,4%. Caiu de 2.977 em doze meses de 2019 para 1.922 no ano passado, com 1.055 a me­nos. A média diária baixou para cinco. A taxa caiu de 434,57 para 276,80 por 100 mil habitantes.