RP deve avançar para a fase verde nesta segunda

0
1972
ALFREDO RISK

Nesta segunda-feira, 30 de novembro, o governador João Doria (PSDB) vai anunciar se a região do 13º Departamento Regional de Saúde (DRS XIII), que envolve Ribeirão Preto e mais 25 cidades, vai avançar de fase, da amarela para a verde, que permite uma flexibiliza­ção mais intensa das atividades econômicas nesta quarentena imposta pela pandemia de co­ronavírus. Tudo indica que o avanço será aprovado.

Nesta sexta-feira (27), o Es­tado anunciou que houve uma queda de 11% no número de casos de coronavírus em rela­ção à semana anterior, além de uma relativa estabilidade no nú­mero de internações, com leve incremento de 1%. O índice de óbitos causados pela covid-19 registrou queda pronunciada de 15%. A taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva está abaixo de 60% nas 17 regiões sanitárias paulistas.

O secretário Marco Vinho­li, de Desenvolvimento Regio­nal, enfatiza que a estratégia do Plano São Paulo é estar sempre um passo à frente da pandemia, agindo de forma preventiva para controlar e debelar a transmis­são do vírus. “Em São Paulo, todos os cidadãos que necessita­ram de cuidados de saúde foram devidamente atendidos”, diz.

“Nós estamos diariamente realizando este trabalho e ne­nhuma região do estado tem ocupação de leitos de UTI aci­ma de 60%. A situação segue dentro dos parâmetros estabe­lecidos pelo Plano São Paulo e nenhuma região está com taxas elevadas de ocupação de leitos, sendo que efetuamos um moni­toramento diário disso em todo o estado de SP”, conclui Vinholi.

Para o secretário de Saúde do Estado de São Paulo, Jean Gorintcheyn, os números atu­ais não justificam medidas mais restritivas no momento. “Não há uma ‘segunda onda’ da pande­mia e a situação está sob contro­le”, diz. “Mas ainda estamos em quarentena e precisamos que cada um colabore com respon­sabilidade e segurança fazendo o controle da pandemia”, conclui.

Segundo o decreto número 284/2020, assinado pelo pre­feito Duarte Nogueira (PSDB) e publicado no Diário Oficial do Município (DOM) de 16 de novembro, se Ribeirão Pre­to avançar para a fase verde estabelecimentos comerciais, industriais e de prestação de serviços poderão atender em horário integral e com 60% da capacidade máxima prevista em alvará. Bares, restaurantes e demais estabelecimentos com consumo local de alimentos e bebidas, inclusive as praças de alimentação dos shoppings, po­dem funcionar até as 23 horas.

Salões de beleza e de estética, como barbearias, cabeleireiros, manicure e pedicure, academias e outros estabelecimentos tam­bém podem atender de segunda a sábado, em horário integral, de acordo com as regras previstas em alvará. Também libera a rea­lização de eventos com a partici­pação de 150 pessoas ou 60% da capacidade dos espaços.

Teatros, museus, cinema, parques, praças esportivas, igrejas e qualquer tipo de tem­plo religioso também podem atender com até 60% da ca­pacidade, desde que sigam os protocolos sanitários. O horá­rio de atendimento do comér­cio e do setor de serviços será integral,as dentro das regras da convenção de trabalho.

Vai das oito às 18 horas de segunda à sexta-feira e das nove às 15 horas aos sábados – o atendimento até as 17 horas é facultativo –, com capacidade máxima de público estabeleci­da em 60%. Também autoriza os setores de comércio e de ser­viços a adotarem horário espe­cial de final de ano a partir de terça-feira, 1º de dezembro.

Esses estabelecimentos po­derão atender até as 22 horas, de segunda a sábado . Por cau­sa do avanço do coronavírus, e para manter todas as regiões do Estado na fase amarela, Doria anunciou o adiamento da nova atualização do Plano São Paulo do dia 16 para segunda-feira (30). Também reduziu para 14 dias o período de reclassifica­ção, que era de 28 dias até então.

Em nota distribuída à im­prensa na segunda-feira, a pre­feitura disse que “Ribeirão Preto está com índices de classificação da fase verde do Plano São Paulo em todos os quesitos, inclusive com situação mais confortável que as verificadas em diversas outras regiões do Estado”.

Na quinta-feira (26), a juí­za Luisa Helena Carvalho Pita, da 2ª Vara da Fazenda Pública, negou recurso à prefeitura de Ribeirão Preto e manteve a cida­de na fase amarela do Plano São Paulo. O pedido de suspensão feito pelo Ministério Público de São Paulo (MPSP), por meio de ação civil impetrada pelo pela Promotoria de Saúde Pública.

A prefeitura ainda não foi notificada e aguarda o julga­mento de outro recurso, im­petrado junto ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ/SP). Argumenta que Ribeirão Pre­to tem índices sanitários para estar na fase verde do Plano São Paulo, levando em conta a evolução de casos de coro­navírus e dos óbitos por co­vid-19 e a ocupação de leitos de terapia intensiva.

Acirp emite nota sobre fake news
“Diante de boatos relacionando o fechamento do comércio e a suspensão das atividades econômicas após a realização do segundo turno das eleições municipais, a Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Pretyo (Acirp) alerta seus associados que não há qual­quer fundamento para que tal medida seja tomada.

Em que pese a pandemia continuar ativa e exigindo a manuten­ção das normas de prevenção – como distanciamento social, uso de máscaras e cuidados sanitários e de higiene –, nenhum indicador neste momento mostra necessidade de retrocessos nas medidas de isolamento.

A Acirp destaca ainda que tem cobrado máxima transparência do poder público na divulgação dos dados de internações, óbitos e con­taminações de nosso município e da região e repudia, mais uma vez, que seja feito uso político ou eleitoral da pandemia, uma tragédia que tem trazido prejuízos incalculáveis para empreendedores e trabalha­dores, além de perdas e tristezas para inúmeras famílias.”

Comentários