Ribeirão Preto é considera­da a 10ª cidade mais inteligente e conectada do Estado de São Paulo e a 25ª do país, segundo a quinta edição do Ranking Connected Smart Cities, di­vulgada na terça-feira, 17 de setembro. Os primeiros co­locados são os municípios de Campinas (SP), São Paulo (SP) e Curitiba (PR).

Elaborado pela consultoria Urban Systems em parceria com a empresa de organiza­ção de eventos Sator, o ranking tem como objetivo mapear as cidades com maior potencial de desenvolvimento no Bra­sil. Levando em consideração 70 indicadores, em todas as cidades com mais de 50 mil habitantes, são avaliados onze setores como mobilidade, em­preendedorismo, urbanismo, economia, saúde, educação, entre outros.

Ocupando a 25ª posição em escala nacional, as melho­res pontuações de Ribeirão Preto ocorreram nos setores de Economia e Tecnologia e Inovação, ocupando o 31º lu­gar em ambas as categorias. Entre os fatores que contribu­íram para a classificação estão a criação de 96.236 empregos em 2018, colocando Ribeirão como a segunda cidade a gerar mais oportunidades no Estado.

“A partir do momento em que o empresariado ganha confiança na administração municipal, os investimentos revelam crescimento econô­mico e, por consequência, o aumento na oferta de empre­gos. Avançamos muito com a entrega da terceira etapa do Distrito Empresarial, total­mente estruturada para rece­ber novas empresas, e com o apoio à entrega do maior bair­ro planejado do Brasil, o Re­sidencial Vida Nova Ribeirão. Esta iniciativas resultaram em novos postos de trabalho, fa­zendo de Ribeirão Preto uma cidade cada vez mais forte e desenvolvida, com qualidade de vida para todos”, afirma o prefeito Duarte Nogueira Jú­nior (PSDB).

Ribeirão também é a pri­meira cidade do país a realizar todas as operações relaciona­das ao microempreendedor individual de forma totalmen­te digital, otimizando desde as emissões de notas fiscais pelo microempreendedor, que são feitas sem a utilização de papeis. O sistema começou a operar de forma 100% digital neste mês de setembro.

Considerado o municí­pio que mais formaliza MEI no Brasil, visto pela média de habitantes, Ribeirão possui 42.626 MEIs cadastrados, o que representa 6.061 micro­empreendedores individuais para cada 100 mil habitantes. O índice do Estado de São Paulo é de 5.182 e o do Bra­sil é ainda mais baixo, 4.232 MEIs para cada 100 mil ha­bitantes. Ribeirão é, também, a quarta cidade no Estado e a 15ª no país mais atuante no to­tal de empresas.

Tecnologia e Inovação – Ri­beirão Preto é considerado um polo tecnológico e se destaca por seu ecossistema empreen­dedor, que conta, atualmen­te, com 175 startups ativas. A maior parte das empresas atua nas áreas de Tecnologia da Informação e Saúde, am­bas representando 29,7% das empresas, seguidas pelas atu­antes em Educação (11,4%) e Agronegócio (10,3%). Os dados são do Mapeamento do Ecossistema de Inovação realizado pelo Supera Parque de Inovação e Tecnologia.

Além disso, o município conta com mais de 50 progra­mas de pós-graduação, é sede da Universidade de São Paulo, do Supera Parque de Inovação e Tecnologia, de duas acelera­doras de empresa – o Sevna Startups e a Pluris Acelera­dora, e conta ainda com um capítulo do Founder Institu­te. “A cidade está entre as que mais aprovam projetos em empreendedorismo de alto impacto. As empresas ribei­rão-pretanas estão classifica­das no ranking das que mais receberam verbas do progra­ma Pesquisa Inovativa em Pe­quenas Empresas da Fapesp”, ressalta o chefe do Executivo.

O Supera Parque de Inova­ção e Tecnologia de Ribeirão Preto, gerido pela Fipase, é resul­tado de uma parceria entre Uni­versidade de São Paulo (USP), prefeitura de Ribeirão Preto e Secretaria de Desenvolvimen­to do Estado de São Paulo.

Instalado no campus da USP local, abriga a Supera Incubadora de Empresas, o Supera Centro de Tecnologia, a associação do Arranjo Pro­dutivo Local (APL) da Saúde, o Polo Industrial de Software (PISO), além do Supera Cen­tro de Negócios. Ao todo, são 78 empresas instaladas no par­que, sendo 58 delas na Supera Incubadora de Empresas de Base Tecnológica, doze em­preendimentos no Centro de Negócios e oito na aceleradora Sevna Startups.

Comentários