RP espera avançar de fase no dia 9

0
90
ALEXANDRE DE AZEVEDO/CCS

Apesar de ser uma das regi­ões do Estado que mais preo­cupam o governo de São Paulo e dos apelos da comunidade médica e científica para que as pessoas respeitem o isolamen­to e o distanciamento social, os números atualizados da pande­mia trouxeram otimismo às 26 cidades da área de atuação do 13º Departamento Regional de Saúde (DRS XIII).

O prefeito de Ribeirão Pre­to, Duarte Nogueira Júnior (PSDB), disse nesta sexta-feira, 31 de julho, em sua live de final de tarde, que a queda na ocupa­ção de leitos de terapia intensiva pode levar a região direto à fase amarela do Plano São Paulo na próxima atualização, que será anunciada na sexta-feira, 7 de agosto, sem nem mesmo passar pela etapa laranja.

A ocupação de leitos de tera­pia intensiva estava em 77,4% às 19 horas desta sexta, 31 de julho, em Ribeirão Preto, segundo a plataforma leitoscovid.org. Ha­via pessoas internadas em 175 das 226 vagas disponibilizadas pelos 13 hospitais da cidade – cinco públicos e oito privados. Em relação à quinta-feira (30), houve uma redução de 4,35%.

Na enfermaria, a taxa era de 70,4%, com 195 das 277 vagas ocupadas. Nas unidades Cam­pus e de Emergência do Hospi­tal das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, li­gada à Universidade de São Pau­lo (HCFMRP/USP), a ocupação de leitos de terapia intensiva es­tava em 80% no mesmo horário desta sexta-feira.

As duas unidades do HC têm 75 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para adultos e 60 estavam ocupados. A situação era mais preocupante na enfermaria, que conta com 64 leitos e tinha 64 pacientes com quadro menos grave da covid-19, ou 100% de ocupação.

E em reunião do Conselho Municipalista, no início da tar­de de ontem, o coordenador do Comitê Estadual de Con­tingenciamento da Covid-19, Carlos Carvalho, disse que a DRS XIII apresenta 76% de va­gas ocupadas nas UTIs. Caso chegue a 75%, a região alcança a cor laranja.

Dos outros critérios ava­liados pelo comitê, a DRS de Ribeirão Preto apresenta verde para leitos por 100 mil habi­tantes (são 20,1), amarelo para número de casos, amarelo para internações por 100 mil habi­tantes e laranja para óbitos por 100 mil habitantes.

A nova quarentena come­çou na segunda-feira (27) e vai até 9 de agosto. Uma nova ava­liação será anunciada no dia 7, quando o Estado vai informar se a região terá condições de avançar de fase. Na análise feita pelo Comitê de Contingencia­mento da Covid-19 para o Pla­no ao Paulo, a capacidade hos­pitalar ficou na faixa vermelha. Já faz 51 dias seguidos que os 26 municípios do DRS XIII es­tão nesta zona – retornou em 10 de junho após passar uma semana na faixa laranja.

A ocupação de leitos de te­rapia intensiva para pacientes com covid-19 nas regiões de Ribeirão Preto (91,4%), Franca (82,5%) e Piracicaba (84,8%) foi considerada preocupante e exige a continuidade das restrições. A fase laranja permite funciona­mento com 20% da capacidade de público em comércio de rua, shopping centers, escritórios em geral, imobiliárias e conces­sionárias. O horário também é limitado a quatro horas diárias.

Na fase amarela, além des­sas atividades, também podem atender, com restrições e re­gras rígidas, bares, restaurantes e salões de beleza e de estética – cabeleireiros, barbearias, es­teticista, manicure, pedicure, depilador e maquiador. A per­manência por 28 dias seguidos na fase amarela também permite a reabertura, com limitações, de espaços culturais como museus, bibliotecas, cinemas, teatros e sa­las de espetáculos.

Atualmente, em Ribeirão Preto, apenas os serviços es­senciais poderão atender pre­sencialmente. Entre eles estão os supermercados, padarias, açougues, bares, lanchonetes e restaurantes (desde que não haja consumo no local), far­mácias, drogarias, bancos (se­guindo as regras de distancia­mento e higienização), postos de combustíveis, serviços de limpeza, segurança, transpor­te (ônibus, táxis e aplicativos) e abastecimento.

Na zona verde do Plano São Paulo, é permitida a abertura de um número maior de seto­res em relação à fase 3. A fase azul permite o “normal contro­lado” na qual todos os setores em funcionamento, mas man­tendo medidas de distancia­mento e higiene.

A região do DRS XIII é formada por Ribeirão Preto, Altinópolis, Barrinha, Ba­tatais, Brodowski, Cajuru, Cássia dos Coqueiros, Cra­vinhos, Dumont, Guariba, Guatapará, Jaboticabal, Jardi­nópolis, Luis Antônio, Mon­te Alto, Pitangueiras, Pontal, Pradópolis, Santa Cruz da Esperança, Santa Rosa de Vi­terbo, Santo Antônio da Ale­gria, São Simão, Serra Azul, Serrana e Sertãozinho.