FERNANDO GONZAGA

Segundo balanço divulga­do pelo “Vacinômetro”, fer­ramenta digital desenvolvida pela Secretaria de Comunica­ção em parceria com a Com­panhia de Processamento de Dados do Estado de São Pau­lo (Prodesp), até as 20 horas desta terça-feira, 11 de maio, Ribeirão Preto havia aplicado 211.940 doses de vacina contra a covid-19.

Segundo o site, Ribeirão Preto recebeu mais 30.305 do­ses de imunizantes na quinta­-feira (6), saltando de 212.578 para 242.883. De acordo com a ferramenta, 134.489 pessoas já foram imunizadas (primeira dose) na cidade, entre profis­sionais da saúde, da segurança pública e da educação e idosos acima de 60 anos.

Estes “ribeirão-pretanos” re­presentam 18,9% da população da cidade, estimada em 711.825 pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatís­tica (IBGE). Além disso, 77.451 profissionais de saúde e da edu­cação e idosos acima de 68 anos receberam a segunda aplicação (10,9% da população).

A cidade, que na terça-feira (4) ocupava o 385º lugar entre 645 cidades, segundo apontava o “Ranking de Vacinação”, dis­ponível no site www.vacinaja.sp.gov.br/vacinometro (“Vaci­nômetro”), agora está na 371ª posição com 18,9% de cober­tura vacinal em relação ao nú­mero de habitantes.

No mesmo horário, a pri­meira colocada era Serrana, com 29.801 pessoas imuniza­das, 65,3% da população de 45.644 moradores. No ranking de aplicação de vacinas por do­ses distribuídas, Ribeirão Preto avançou da 556ª para a 554ª co­locação às 20 horas, com 87,3%.

Dados consolidados até 6 de maio mostram que 400.958 paulistas que já receberam al­gum dos imunizantes disponí­veis ainda precisam completar o esquema vacinal. Na área de abrangência do 13º Departa­mento Regional de Saúde (DR­S-XIIII), que envolve Ribeirão Preto e mais 25 cidades, são 20.897 faltosos.

Destes, 3.044 receberam a dose da Coronavac (14,6%) – vacina desenvolvida no Brasil pelo Instituto Butantan em par­ceria com a chinesa Sinovac – e 17.853 foram imunizados com a vacina de Ozford/AstraZeneca (ou 85,4%), produzida pela Fun­dação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A região do DRS XIII é for­mada por Ribeirão Preto, Al­tinópolis, Barrinha, Batatais, Brodowski, Cajuru, Cássia dos Coqueiros, Cravinhos, Dumont, Guariba, Guatapará, Jabotica­bal, Jardinópolis, Luis Antô­nio, Monte Alto, Pitangueiras, Pontal, Pradópolis, Santa Cruz da Esperança, Santa Rosa de Viterbo, Santo Antônio da Alegria, São Simão, Serra Azul, Serrana e Sertãozinho.

Um balanço da Secretaria Municipal da Saúde aponta que, até 30 de abril, 4.464 pessoas dei­xaram de comparecer aos postos de saúde de Ribeirão Preto para receber a segunda dose da Coro­navac, vacina contra a covid-19 produzida no Brasil pelo Institu­to Butantan em parceria com a chinesa Sinovac.

Este montante representa 8,7% dos idosos a partir de 68 anos, de acordo com a pasta. A faixa etária com maior ín­dice de abstenção do reforço vacinal é a dos 68 anos, com 1.301 pessoas. Depois vêm as seguintes faixas: 90 anos ou mais (212 pessoas, 7%), 85 a 89 anos (577 ou 10,8%), 77 a 79 anos (377 pessoas, 5,1%), 75 a 76 anos (279 ou 4,7%), 72 a 74 anos (719 pessoas, 6,4%) e 69 a 71 anos (992 ou 7,5%).

Em todo o Estado, são 101.753 pessoas que tomaram a vacina da Fiocruz (Oxford/ Astrazeneca, ou 25,4%) e ou­tros 299.205 referentes à vaci­na do Butantan (Coronavac, ou 74,6%). Cerca de metade das pessoas que se enqua­dram nestes públicos reside na Grande São Paulo, que registra 196.169 faltosos.