A dupla Chitãozinho & Xororó desembarca em Ri­beirão Preto neste sábado, 14 de setembro, com o show da turnê “Evidências”, em come­moração aos 30 anos da mú­sica homônima, lançada no álbum “Cowboy do Asfalto”, de 1990, mas composta por José Augusto e Paulo Sérgio Valle em 1989. A apresentação terá início às 22h50, no Restauran­te Fazendinha, no quilômetro 316,5 da Rodovia Anhanguera (SP-330), no Jardim Salgado Filho, Zona Norte.

Não importa seu gosto mu­sical e seu estilo, quando toca “Evidências” não tem como não se envolver. Que atire a primeira pedra quem nunca cantou esse clássico do serta­nejo a plenos pulmões. Consi­derada umas das canções mais famosas, o hit virou referên­cia de Chitãozinho & Xororó, marcando o romantismo das músicas dos anos 1990.

Agora, quase 30 anos de­pois de sua primeira gravação, a dupla resolveu homenagear este grande sucesso nomeando sua nova turnê de “Evidências”. A canção que dá nome ao show já foi regravada e interpretada por mais de 80 artistas dos mais diferentes estilos musicais. Tem versões em francês, inglês, ita­liano e até mesmo japonês, e é considerada a música mais to­cada em karaokês.

“Quando José Augusto e Paulo Sérgio Vale fizeram a música, ela foi considerada ruim por muitas produtoras e empresários. Então, José Au­gusto nos entregou uma fita com várias músicas, e a última delas era ‘Evidências’. Nós ou­vimos no carro indo para São Paulo e quando escutamos a canção nos emocionamos na hora”, conta Chitãozinho. “Pen­samos bastante no formato do novo show e já passou da hora de transformar este grande su­cesso em turnê. Esperamos que marque época, assim como a música”, complementa Xororó.

Neste novo show, a dupla apresenta ao público seus grandes sucessos como “No Rancho Fun­do”, “Fio de cabelo”, a emocionante “Se Deus me ouvisse” e “Nuvem de lágrimas”. Terá também uma volta ao passado com “Fogão de lenha” e “Chovendo na roseira”. Canções novas, como “Você me trocou”, parte do projeto “Clássico”, com Bruno & Marrone, também estão presentes. Mas com certeza o grande ápice será “Evidências”, que terá um papel importante dentro da apresentação.

“A escolha do repertório é sempre difícil, temos muitas músicas que nunca queremos deixar de fora”, explica a dupla. Ícones da música sertaneja, os irmãos José Lima Sobri­nho (Chitãozinho) e Durval de Lima (Xororó) atingiram a marca de 40 milhões de dis­cos vendidos, 37 álbuns inédi­tos, oito DVDs, três prêmios Grammy, centenas de discos de ouro, platina e diamante, programas de televisão e uma homenagem da X-9 Paulistana que contou sua história.

A dupla gravou o primeiro disco, “Galopeira”, em 1970, mas o sucesso veio oito anos depois com “60 dias apaixona­dos”, que deu o primeiro disco de ouro. O reconhecimento do grande público veio em 1982 com a música “Fio de cabelo”, que vendeu mais de 1,5 milhão de cópias. Ao longo da carrei­ra, criaram clássicos como “Se Deus me ouvisse”, “Fogão de lenha”, “No Rancho Fundo”, “Brincar de se feliz”, “Página de amigos” e “Alô”, entre outros.

Juntamente com este pro­jeto, Chitãozinho & Xororó viajam pelo Brasil com mais outros dois trabalhos. A dupla divide o palco com Bruno & Marrone com o show “Clássi­co”, que já é sucesso por onde passa. E na turnê “No Tom do Sertão”, homenageiam o maes­tro, pianista e arranjador Tom Jobim (1927-1994).

O ingresso para a pista custa R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia­-entrada). A mesa ouro custa R$ 1,8 mil (para quatro pesso­as) e a prata “sai” por R$ 1,4 mil (quatro lugares). Para o golden bar custa R$ 320 (comidas de boteco, whisky, cerveja, vo­dka, refrigerante, suco e água) e para a área open bar “sai” por R$ 160 (cerveja, vodka, refrige­rante, suco e água). Nos setores pista e mesas não têm open bar.

Comentários