RP tem mais de 1.200 casos de coronavírus

0
34
THOMAS PETER/REUTERS

Ribeirão Preto registrou mais 135 casos do novo coro­navírus em três dias, 57 apenas nesta segunda-feira, 1º de ju­nho – duas a cada 60 minutos –, segundo dados divulgados pela a Secretaria Municipal da Saúde (SMS). O total de pacientes infectados pelo Sar­s-CoV-2 saltou de 1.160 no domingo (31) para 1.217, au­mento de 4,9%.

O recorde diário de pes­soas diagnosticadas com co­vid-19 é da última sexta-feira (29), quando a cidade regis­trou mais 82 casos de corona­vírus. Ribeirão Preto também tem 247 mortes por covid-19. Em um mês, desde 2 de maio, quando o município contabili­zava 291 casos confirmados de coronavírus, mais 926 pessoas foram infectadas pelo Sars­-CoV-2, média de quase 31 por dia (30,8) e alta de 318,2%.

Na época, Ribeirão Preto contabilizava sete mortes por covid-19 – atualmente, são 20 a mais. O secretário municipal da Saúde, Sandro Scarpelini, reforça que o avanço de casos neste mês é justificado pelo aumento na capacidade de tes­tagem do município. Até os pa­cientes com sintomas leves de síndrome gripal estão sendo tes­tados nos postos do município.

A Secretaria Municipal da Saúde acrescentou às notifica­ções e aos casos descartados também as síndromes gripais. Os pacientes que procuram atendimento no sistema de saúde do município e estão sendo testados mesmo com sintomas leves de gripe. Atu­almente, são 5.223 notificações e 3.509 que testaram negativo, ou 67,2% do total. A cidade também aguarda o resultado de 497 exames que estão repre­sados nos laboratórios (9,5%). Os 1.217 confirmados repre­sentam 23,3%.

Neste domingo (31), Ri­beirão Preto atingiu o pico de pessoas internadas em Unida­des de Terapia Intensiva (UTI) desde o início da pandemia de covid-19. Segundo a Se­cretaria Municipal da Saúde, 58 pacientes em estado grave estavam hospitalizados ante­ontem, 47,9% da capacidade – são 121 leitos disponíveis.

A média dos últimos sete dias foi de 47 infectados, 48,1% dos 99 leitos (o núme­ro é variável). Também havia 58 pacientes nas 30,2% das 192 vagas. A média na semana foi 55 internações, 31,3% dos 176 leitos. No caso da UTI, se a ocupação continuar a subir, a capacidade do sistema de saúde deve se esgotar em três semanas. Outro dado impor­tante diz respeito aos testes realizados pela Supera Ação. Entre os dias 18 de abril e 31 de maio, foram feitos 2.743 testes na cidade, dos quais 26,89% resultaram positivo e 71,67% testaram negativo.

A Secretaria Municipal da Educação iniciou nesta se­gunda-feira (1º) a distribui­ção de kits de alimentos e de materiais didáticos às escolas municipais. Ao todo, serão be­neficiados os cerca de 47 mil alunos matriculados nas 108 escolas rede de ensino de Ri­beirão Preto – as aulas só vão voltar em julho. A distribuição terá início nesta terça-feira (2), sendo que as famílias serão contatadas previamente para fazerem a retirada de forma que não haja aglomeração em cada unidade.

Para as crianças de um ano de idade, serão entregues um quilo de arroz, um quilo de feijão, um frasco de 900 ml de óleo de soja, um pacote de 500g de macarrão, um sachê de 340g de molho de tomate e um quilo de leite em fórmula infantil Fase 2 (de seis a 12 me­ses). Já os alunos a partir dos dois anos de idade irão receber um quilo de arroz, um quilo de feijão, um frasco de 900ml de óleo de soja, um pacote de 500g de macarrão, um sachê de 340g de molho de tomate e 800g de leite em pó integral.

“Os kits foram elaborados com alimentos que seriam utilizados na merenda escolar e correspondem, aproxima­damente, à refeição de uma criança pelo período de um mês. Dos quase 47 mil alunos matriculados na rede munici­pal, 16,7% vivem em situação de alta vulnerabilidade social e sabemos que ações como essas podem fazer diferença na vida dos nossos estudantes”, afir­mou o secretário da Educação, Felipe Elias Miguel.

Em relação aos materiais didáticos, que serão fornecidos para apoio às atividades reali­zadas em casa, o ensino fun­damental irá receber apostilas de Língua Portuguesa e Mate­mática do Estado, além de um material de estudos produzido pelos profissionais do Centro Educacional Paulo Freire. Os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) receberão os materiais produzidos pelo Centro Paulo Freire e os do ensino infantil receberão folha sulfite, massinha, giz de lou­sa e de cera, além de carta de orientação aos pais para aju­dar nas atividades passadas pelos professores, incluindo contação de histórias.