ALFREDO RISK

O projeto Aeaarp Cultural, promovido pela Associação de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Ribeirão Preto, promove uma noite típica russa nesta quinta-feira, 11 de julho, a partir das 19 horas. A arquiteta Ercília Pamplona, responsável pela iniciativa, convidou a famí­lia de músicos ucranianos Sni­zhana Dragan, Bogdan Dragan e Yuri Ponomaryov. A entidade fica rua João Penteado nº 2.237, Jardim Sumaré, Zona Sul.

O ingresso será trocado por dois quilos de alimento para ins­tituições beneficentes cadastra­das na Aeaarp. O evento contará com apresentação de músicas russas pela voz da cantora Shi­zhana Drahan, regente do coro da Orquestra Sinfônica Metro­politana de Ribeirão Preto, com piano e clarinete pelo músico Bodgan Dragan, também clari­netista da Osmrp, e acordeom de Yuri Ponomaryov. No pro­grama, canções folclóricas.

A produção musical russa, que vem da cultura popular do povo russo, é a base de toda a música profissional do país. As canções falam dos costumes e tradições do povo, contam epi­sódios épicos, as tradições agrí­colas e camponesas, o folclore das tribos eslavas que vivem no território russo etc. Além da conhecida música clássica, apresentada nos maiores tea­tros e pelos maiores músicos do mundo, a folclórica tem um ritmo alegre, com canções bas­tante melódicas.

“Vamos apresentar uma se­leção de ritmos variados para que o público conheça e aprecie a música do povo russo, que re­lata e representa toda a história e tradições do nosso povo, mas muitas vezes desconhecidas do Ocidente. O mundo todo conhece os grandes compo­sitores clássicos russos, mas dificilmente conhece a músi­ca popular. Esperamos trazer um pedacinho da Rússia neste evento”, diz a regente e cantora Snizhana Drahan.

“Estamos diversificando, cada vez mais, a temática dos eventos deste projeto cultural para reunirmos vários públicos. Os eventos são destinados à toda a comunidade”, explica a arqui­teta Ercília Pamplona, responsá­vel pelo projeto Aeaarp Cultural.

Yuri Ponomaryov
Foi professor na Ucrânia. Em 1968 apresentou-se pela pri­meira vez como solista na Uni­versidade de Nejin, na Ucrânia. Já se apresentou na Polônia, In­glaterra e França. Em 1983 rea­lizou a turnê pela Europa junto a Orquestra Folclórica Russa, passando pela Espanha, Grécia, Malta e França. Antes de mu­dar-se para o Brasil, participou de três edições do Festival In­ternacional Auroras de Sofia, na Ucrânia. Hoje ele é regente de um coral russo em São Paulo, o único Brasil, condecorado pelo governo russo recentemente.

Snizhana Drahan
Graduada em Regência Co­ral na Ukrainian National Tchai­kovsky Academy of Music, mes­tre em Musicologia pela Escola de Comunicações e Artes – USP. Estudou no Colégio Musical (Ucrânia), nível ensino médio, e ensino musical de nível técnico na Escola de Música de Uman, também na Ucrânia. Desde 2008 é coordenadora, regente e professora da Escola de Canto Coral da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto. No Brasil, fez doutorado na Faculdade de Me­dicina de Ribeirão Preto-USP.

Bogdan Dragan
Ucraniano, filho de músicos, concluiu o estudo de clarinete no Colégio Musical, na Ucrânia, e se formou pela Academia Na­cional de Música da Ucrânia P. I. Tchaikovsky, em Kiev, com as especializações: solista, regente de banda, músico da orquestra sinfônica e professor de clarine­te. Em 1990, ganhou o primeiro prêmio no Concurso Nacional em Donetsk, em seu país. Fez cursos de piano, violão, saxofo­ne, baixo e bateria. Trabalhou como clarinetista em várias ins­tituições ucranianas, como Te­atro Pequeno de Ópera e Balé de Kiev, Orquestra de Câmara de Kiev, Orquestra Folclórica “Rídni Náspivy” e Quinteto de Sopros da Filarmônica de Kiev, até vir para o Brasil.

Participou concursos e festi­vais na Europa, como Concurso Internacional de Música de Câ­mara, em Chmelnitsky (Ucrâ­nia), onde ganhou com quinteto o Primeiro Prêmio, Concurso de Música de Câmara, em Pa­ris, e o reconhecido Festival de Wagner, na Alemanha. Fez tur­nês pelos países da Europa, Ásia e da América Latina, participan­do de diversas gravações de CD. Em 1998, foi contratado pela Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, onde permanece até hoje. Ao mesmo tempo, desenvolve um trabalho como arranjador, fazendo os arranjos e orques­trações para orquestras e outros grupos musicais.

Comentários