Com o show “Canta Fun­do de Quintal”, o grupo Mania de Samba se apresenta no Sesi Ribeirão Preto neste sábado, 14 de setembro, às 15 horas. O show integra o projeto Territó­rio Sesi-SP de Arte e Cultura, que visa incentivar e difundir a produção artística regional. Os ingressos podem ser reserva­dos gratuitamente pelo sistema Meu Sesi (www.sesisp.org.br/ meu-sesi) e deverão ser retira­dos na portaria com uma hora de antecedência.

Fica na rua Dom Luiz do Amaral Mousinho nº 3.465, no Jardim Castelo Branco, na Zona Leste. O local tem capacidade para receber 500 pessoas. O espetáculo é livre para todas as idades. Infor­mações pelo telefone (16) 3603-7327. No show, uma exaltação ao Fundo de Quin­tal, grupo formado no Brasil no final da década de 1970.

Para o Mania de Samba – formado por Junior Barros (voz e cavaco), Carrapicho (violão e bandolim), Gilson Carvalho (surdo), Saimon Jonathan (pandeiro) e Artur Gonçalves (chimbal e caixa) –, interpretar obras do grande Fundo de Quintal, um conjun­to consagrado, é confirmar a admiração por músicas imor­talizadas no gosto popular. A performance convida o públi­co a cantar, dançar e se divertir com o melhor do samba.

Formado na década de 1970 a partir do bloco carna­valesco Cacique de Ramos, da cidade do Rio de Janeiro, o grupo tornou-se uma refe­rência original no subgênero pagode. Composto princi­palmente por sambistas da escola de samba Imperatriz Leopoldinense, caracterizou­-se por usar instrumentos até então pouco comuns em ro­das de samba, como o banjo, o tantã, o repique de mão.

Inicialmente, o grupo era composto pelos sambistas Almir Guineto (1946-2017), Bira Presidente, Jorge Aragão, Neoci, Mário Sérgio (ambos falecidos), Sereno, Sombrinha e Ubirany. Mais tarde, Arlin­do Cruz e Walter Sete Cordas integraram o conjunto mu­sical. Após a saída de Walter Sete Cordas, Cleber Augusto e Zeca Pagodinho fizeram parte do grupo. Atualmente o grupo é composto por Ade­mir Batera, Ronaldinho, Sere­no, Bira Presidente, Ubirany e Márcio Alexandre.

Tendo como “madrinha” a cantora Beth Carvalho (1946-2019), o grupo gravou 33 álbuns, e alguns deles ren­deram 15 discos de Ouro e quatro de Platina. Tem ainda cinco DVDs e foi o vencedor do Grammy Latino 2015 na categoria Melhor Álbum de Samba com “Só felicidade”. Ganhou 17 prêmios da Mú­sica Popular Brasileira como melhor grupo de samba.

Entre seus maiores su­cessos estão “A batucada dos nossos tantãs”, “E eu não fui convidado”, “Boca sem den­te”, “Ô, Irene”, “O show tem que continuar”, “Do Fundo do Nosso Quintal”, “Só pra contrariar”, “Miudinho”, “Be­beto Loteria”, “Não vai na conversa dela”, “”Vai lá vai lá», «Parabéns pra você”, “An­dei, andei”, “Malandro sou eu”, “Tô que tô”, entre outros.

Comentários