Engenheiros da Arsernal Design Bureau, empresa subsidiária da agência espacial russa Roscosmos, especializada no desenvolvimento de naves espaciais, apontaram que será possível levar uma usina nuclear para Marte para construir uma futura base da Rússia no planeta.

De acordo com um relatório publicado na agência de notícias russa Sputnik, os engenheiros afirmaram que a usina nuclear será levada até Marte por meio do rebocador espacial interplanetário Zeus e, quando chegar a órbita do planeta vermelho, será lançada para posar com a ajuda de um sistema de paraquedas.

Estande da agência espacial Roscosmos
Rússia deseja levar uma usina nuclear em Marte. Imagem: Testing/Shutterstock

O Zeus foi projetado para distribuir cargas em todo o sistema solar e é movido por um sistema de propulsão elétrica movido a energia nuclear. Inclusive, o chefe da Roscosmos, Dmitry Rogozin, afirmou que rebocador pode até visitar outros planetas, como Vênus, para buscar vida alienígena.

Os engenheiros afirmaram ainda que Zeus poderá se tornar um canal de alta velocidade para transmitir informações para Terra, isso caso ele alcance o ponto Lagrange – local onde as forças gravitacionais de Marte e do Sol são iguais.

Além disso também poderá ser utilizado como um componente da rede de defesa aérea da Rússia, detectando os alvos em órbita e transmitindo a informação para sistemas de mísseis na Terra.

Apesar das grandes possibilidades proporcionadas pelo rebocador, Zeus ainda está na Terra e, segundo a agência espacial russa, deve ter seus testes iniciados em 2030. O valor do projeto está estimado em cerca de R$ 305,9 milhões.

Por ora, o rebocador espacial e a usina nuclear em Marte fazem parte apenas das ambições da Rússia, assim como as missões lunares tripuladas e construção da estação espacial russa.

Via Olhardigital