Jornal Tribuna Ribeirão

Safra 2021 recua 0,4%, aponta IBGE

© CNA/Wenderson Araujo/Trilux

A safra agrícola de 2021 fe­chou com a produção de 253,2 milhões de toneladas de grãos, uma queda de 0,4% em relação a 2020, informou nesta sema­na o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em seu Levantamento Siste­mático da Produção Agrícola (LSPA) de dezembro. A queda, que passou a ser estimada em meados do ano, por causa da estiagem e das geadas do in­verno, frustrou a possibilidade de mais uma safra recorde.

Ainda assim, a produção registrada em 2021 foi a se­gunda maior da série histórica do IBGE, iniciada em 1975. Ficou atrás apenas dos 254,1 milhões de toneladas de 2020, o recorde atual. A área colhida em 2021 foi de 68,6 milhões de hectares, alta de 4,8%, ou 3,1 milhões de hectares a mais, na comparação com 2020.

As produções de milho e cana são destaques na frus­tração da safra de 2021. A produção total de milho ficou em 87,8 milhões de toneladas, tombo de 15,0% ante 2020. A área plantada, de 19,7 milhões de hectares, foi 7,5% superior à do ano anterior. A segunda safra de milho, maior do país e, justamente, a mais atingida pela estiagem, foi de 62,1 mi­lhões de toneladas, tombo de 18,9% ante 2020.

Já a cana-de-açúcar amar­gou uma queda de 10,1% na produção em 2021, com 609,3 milhões de toneladas. “A pro­dutividade dos canaviais caiu 9,1% devido aos problemas climáticos enfrentados ao longo do ciclo da cultura. São Paulo, principal Estado produ­tor, produziu quase metade da cana nacional: 301,8 milhões de toneladas, mesmo com a queda de produtividade de 13,8% em seus canaviais com­parado ao ano anterior”, diz a nota divulgada pelo IBGE.

No lado positivo, impedindo uma queda maior na produção da safra de 2021, os produtores de soja colheram 134,9 milhões de toneladas. Foi uma safra re­corde de soja, 11,0% superior às de 2020, consolidando o Brasil como maior produtor mundial.

“O destaque de 2021 foi a recuperação da produção gaúcha, com crescimento de 80,8% frente a 2020, o que re­presentou um incremento de 9,1 milhões de toneladas. No ano anterior (2020), as lavou­ras gaúchas foram acometidas por uma estiagem prolongada, que derrubou o rendimento médio e, consequentemente, a produção”, diz a nota do IBGE.

Safra 2022
A safra agrícola de 2022 deverá totalizar 277,1 milhões de toneladas, um salto de 9,4% em relação ao resultado de 2021, o equivalente a 23,9 mi­lhões de toneladas a mais. Se confirmado, será uma safra recorde. Os dados são do ter­ceiro e último Prognóstico da Produção Agrícola, divulgado nesta terça-feira pelo IBGE.

Em relação ao segundo prognóstico, referente a no­vembro, a projeção para a produção agrícola de grãos em 2022 foi ajustada ligeira­mente para baixo, com que­da de 0,3%. Houve revisões tanto nos prognósticos para a produção de soja quanto de milho. Os produtores bra­sileiros deverão colher 70,9 milhões de hectares na safra agrícola de 2022, uma eleva­ção de 3,5% em relação à área colhida em 2021.

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com