O Santos demonstrou con­fiança e tranquilidade após receber a notícia de que o Independiente, da Argentina, tenta anular o jogo contra o time brasileiro disputado na quinta-feira, na Vila Belmiro. A equipe santista venceu por 1 a 0, pela ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana.

O clube argentino alega que Kaio Jorge não poderia ter entra­do em campo porque tinha três cartões amarelos na Libertadores e, portanto, deveria cumprir sus­pensão na Sul-Americana. Nesta sexta, o Santos soltou nota para rebater o Independiente e negar qualquer chance de punição.

A diretoria santista citou o Artigo 75.3 do Código de Dis­ciplina da Conmebol para se defender. O item prevê que “a suspensão imputada a um jo­gador, por acúmulo de cartões amarelos, em diferentes partidas em uma mesma competição, em nenhum caso será transferi­da para outra competição”.

Para fazer a reclamação na Conmebol, os argentinos se ba­seiam em um artigo presente no “Processos Administrativos” do “Manual de Clubes”. Porém, o trecho diz respeito a punições e não a cartões amarelos acumu­lados. “Os jogadores que através da edição atual da Libertadores se classificarem para a Sul-Ame­ricana do mesmo ano, que se en­contrem com sanções pendentes de cumprimento, como consequ­ência de expulsões ou qualquer tipo de sanção recebida de órgãos judiciais, deverão cumprir obri­gatoriamente essas punições no mesmo ano da Sul-Americana”.

Em nota oficial, o Santos garantiu que Kaio Jorge tinha permissão para jogar contra o Independiente. O time disse ter formalizado consultas oficiais à Conmebol antes da partida para saber se poderia ter escalado o atacante e o volante Camacho. O clube afirmou que “a respos­ta da entidade, como o Santos já esperava, foi positiva em relação à escalação dos atletas”.

O artigo 3.7.4.1 do Manual de Clubes da Sul-Americana foi a base usada pela equipe para contar com o ex-jogador do Corinthians na partida. “O Santos FC reitera que tanto o Departamento de Futebol, quanto o Departamento Jurí­dico, tiveram todo o cuidado prévio em cada situação, a fim de evitar prejuízos ao Clube.”