Scarpelini deve voltar à Câmara

0
38
ALEXANDRE DE AZEVEDO/CCS

Está na pauta da Câmara de Vereadores desta quin­ta-feira, 30 de julho, outro projeto de resolução da Mesa Diretora que convoca o se­cretário municipal da Saúde, Sandro Scarpelini, a voltar ao Legislativo e dar mais ex­plicações sobre a pandemia do coronavirus em Ribeirão Preto. Se a proposta passar, ele será ouvido em plenário, em sessão extraordinária ain­da sem data definida.

Segundo os parlamenta­res, na primeira audiência, na terça-feira (28), não foi pos­sível fazer todas as pergun­tas sobre o assunto. Vários vereadores sequer puderam questionar o secretário devi­do ao tempo da sessão, já que na sequência do depoimento haveria votação de projetos.

Na primeira audiência, ao ser questionado sobre qual o destino dos R$ 3 milhões repassados pela Câmara à secretaria para o combate ao coronavírus, o secretário afir­mou que não tinha informa­ções exatas sobre estes recur­sos porque o repasse é feito para a Secretaria Municipal da Fazenda.

Scarpelini explicou que os recursos utilizados ou envia­dos para sua pasta não têm rubrica que identifique de onde veio a verba. No início da noite desta quarta-feira (29), a Câmara emitiu nota em que lamenta “profundamente o fato de a prefeitura não ter uti­lizado o recurso antecipado de R$ 3 milhões, destinado pelo Legislativo para o combate à pandemia de covid-19”.

“A origem e distribuição do dinheiro não constam nos relatórios de gastos com a co­vid-19, além do próprio se­cretário da Saúde afirmar no plenário desta Casa, desco­nhecer o destino do recurso financeiro encaminhado pe­los parlamentares nos meses de março e abril”, diz o texto.

A nota é assinada pelos cinco integrantes da Mesa Diretora – o presidente Lin­coln Fernandes (PDT), os vices Alessandro Maraca (MDB) e Adauto Honorato, o “Marmita” (Pros), e os secre­tários Renato Zucoloto (PP) e Orlando Pesoti (PDT).

“Ao se apresentar como a cidade que mais tempo per­dura na fase vermelha (mais restritiva) no Plano de Reto­mada do Estado, ressaltamos que o uso correto dos recur­sos públicos para amenizar os efeitos da pandemia, são cruciais para o reequilíbrio do atendimento público de saúde e das atividades econô­micas de Ribeirão Preto”, diz.

Por fim, diz que “para tan­to, estamos acionando ime­diatamente a Secretaria da Fazenda do Município, para que informe detalhadamente ao interesse público, a desti­nação do recurso enviado”. No primeiro encontro, Scar­pelini também afirmou que o Hospital Santa Lydia não é exclusivo para tratar pacien­tes com covid-19.

A fala do secretário con­trariou informações divulga­das pelo prefeito Duarte No­gueira Júnior (PSDB) – em 22 de julho, o tucano informou que o hospital municipal se­ria exclusivo para os pacien­tes com o novo coronavírus. Disse também que não proíbe ninguém de prescrever cloro­quina e hidroxicloroquina.

Porém, no combate à co­vid-19, diz que isso depen­de de cada profissional e do consentimento de seus pa­cientes. Entretanto, garan­tiu que como gestor público não pode prescrever, na rede pública municipal, medica­mento sem estudo científico e sem eficácia comprovada contra a doença.

A sessão de hoje começa às 16 horas. Na primeira con­vocação, o secretário Sandro Scarpelini disse ao vereador Elizeu Rocha (PP) que fa­ria questão de comparecer o para sanar qualquer dúvida e explicar todos os detalhes da pandemia em Ribeirão Preto.