Jornal Tribuna Ribeirão

Segredos e histórias dos castelos e palácios tchecos

DIVULGAÇÃO

Viajar sempre convida você a descobrir. Percorrer novos caminhos, experimentar novos sabores, viver novas experiên­cias e muito mais. Viajar tam­bém nos convida a descobrir a história dos destinos, seus monumentos, seus habitantes e muitas vezes nos surpreender com o que ali aconteceu.

Na República Tcheca é possível, nas rotas de cas­telos e palácios, encontrar boas histórias para viajantes destemidos. A realidade às vezes supera a ficção, e nas centenas de castelos tchecos houve cenas tão temíveis que estariam no auge do capítu­lo mais sangrento de “Game of Thrones”. Vingança, luta por herança, amantes ranco­rosos, jardineiros suspeitos, cavaleiros fantasmagóricos e até pegadas emergindo inex­plicavelmente do solo. As vi­sitas aos palácios e fortalezas da República Tcheca são tudo menos enfadonhas. Confira algumas dessas histórias.

Castelo de Olomouc

Castelo de Olomouc

É difícil imaginar que na ca­tedral do castelo de Olomouc, onde o espírito se deleita por toda parte, pudesse ter ocorrido o assassinato de um monarca em 1306, e com o agravante de ele ter apenas 16 anos!

Foi o que aconteceu com o rei Venceslau III, o último da dinastia Premislita. Embora as razões nunca tenham sido conhecidas exatamente – fa­lava-se de uma possível vin­gança – as consequências fo­ram importantes para o Reino Tcheco, que perdeu o último membro de sua realeza.

Castelo Námĕšť nad Oslavou

Castelo Námĕšť nad Oslavou

Se o comum no cinema é que o assassino é o mor­domo, no castelo de Námĕšť nad Oslavou era o jardineiro. Após um incêndio, os corpos do guarda florestal do castelo e sua família foram descober­tos. Embora a princípio se acreditasse que fosse fruto de um acidente, a culpa do jar­dineiro foi revelada – ele os matou ao ser descoberto rou­bando a casa do guarda.

Castelo de Buchlov

Castelo de Buchlov

O motivo ou o autor do as­sassinato do nobre D. Enrique de Buchlov em 1582 nunca foi conhecido com certeza, mas o florete com o qual foi come­tido o crime sim. Ver a arma pode ser uma das muitas des­culpas para visitar o castelo, observar uma múmia autên­tica – da coleção do Egito – e descobrir o que há de verdade na lenda da “Dama de Preto”. Esta jovem é tida como Hilde­gard, filha de um dos Liech­tenstein (antigos senhores do castelo), que foi condenada a vagar pelo castelo após ter cometido um ato impróprio. Diz a lenda que, se ela aparece a algum dos senhores de Bu­chlov, ele morrerá.

Castelo de Cheb

Castelo de Cheb

A violência atingiu em dobro a cidade de Cheb, lo­calizada no oeste da Boêmia, onde o Comandante Albre­cht de Wallenstein foi assassi­nado em 1634, enquanto co­mandava o exército durante a Guerra dos Trinta Anos. Suas tropas também foram ataca­das, sem chance de defesa, durante um jantar. Diz a len­da que Wallenstein cavalga pelas ruas de Cheb, vestindo uma camisa branca com uma mancha de sangue no peito, entra no castelo e desapare­ce. Não podemos lhe garantir um encontro com este fantas­ma, mas você pode admirar seu cavalo, que está empalha­do no Museu Cheb.

Castelo de Český Krumlov

Castelo de Český Krumlov

Filhos ilegítimos da no­breza são comuns, como nessa história. Para saber mais, é necessário voltar ao século 17 e ir ao castelo de Český Krumlov, onde vivia Júlio César d’Austria, filho bastardo do Rei Rodolfo II dos Habsburgos. Conta-se que sofria de esquizofrenia e durante um de seus surtos acabou com a vida de sua amante, filha de um barbeiro, em 1608. O monarca, seu pai, ao saber do ocorrido, decidiu condená-lo à prisão perpé­tua. Ele não sobreviveu nem mesmo um ano.

Deixe o seu comentário:

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com