Jornal Tribuna Ribeirão

Seis mi de pessoas fugiram da Ucrânia

ALEXANDROS AVRAMIDIS/REUTERS

A agência de refugiados das Nações Unidas (Acnur) repor­tou que mais de seis milhões de pessoas fugiram da Ucrânia por conta da invasão russa. Até o momento, mais de 1,6 mi­lhão já voltou para a Ucrânia, seja parcial ou integralmente.

Os números são baseados nas movimentações entre fron­teiras e não necessariamente indicam retornos “sustenta­dos”, diz a agência, que pontua ser cedo demais para chegar a conclusões sobre “tendências definitivas” nesses retornos.

Porta-voz da Acnur, Mat­thew Saltmarsh afirmou que um total de 2,4 milhões de pes­soas que deixaram a Ucrânia se mudaram para além dos países fronteiriços imediatos da Ucrâ­nia, que receberam a maior parte dos refugiados do país.

A Polônia sozinha registrou mais de 3,2 milhões de cida­dãos que deixaram a Ucrânia. Outros países-membros da União Europeia também têm fronteiras abertas, tornando o rastreamento de onde as pessoas vão um empreendi­mento complexo.

Na terça-feira, 10 de maio, o alto comissário da ONU para Refugiados, Filippo Grandi, tuítou que o número de re­fugiados desta crise atingiu o mesmo número de 5,7 milhões da contagem da guerra de onze anos na Síria, que anterior­mente foi a fonte da maior cri­se de refugiados do mundo.

Crimes de guerra
O Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) apro­vou uma resolução nesta quin­ta-feira (12), em Genebra, para iniciar uma investigação sobre possíveis crimes de guerra pelas tropas russas na área de Kiev e em outras regiões, um movi­mento que a Rússia disse ser um acerto de contas político.

Os membros do conselho aprovaram – por maioria esma­gadora (33 votos a favor e dois contra) – uma resolução para ordenar uma Comissão de In­quérito para investigar eventos nas regiões ao redor de Kiev e em outras áreas, como Sumy, que foram temporariamente detidas pelas tropas russas.

A Rússia diz que invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro deste ano para desarmar o país e livrá-lo do que o Kremlin chama de nacionalismo anti­-russo fomentado pelo Oci­dente. Kiev e o Ocidente di­zem que Moscou lançou uma guerra de agressão sem provo­cação. A Rússia foi suspensa do Conselho de 47 membros no mês passado por acusações de violações na Ucrânia.

Navio
Fotos de satélite anali­sadas pela Associated Press mostram que um navio russo que se acredita estar trans­portando grãos ucranianos roubados atracou na Síria. A foto tirada pelo Planet Labs PBC mostra o Matros Po­zynich de bandeira russa no cais em Latakia, na Síria.

O navio visto na foto cor­respondia às características conhecidas do graneleiro, bem como às suas dimen­sões. A embarcação desligou seus transponders há quase uma semana na ilha de Chi­pre, no Mar Mediterrâneo. A Ucrânia alega que o navio ti­nha 27 mil toneladas de grãos que a Rússia roubou do país.

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
AllEscort