Jazz de Ribeirão para o mundo - Foto Divulgação

Blaxtream reúne grandes talentos, conectando músicos do Brasil e de outros lugares do mundo por meio do jazz e da música instrumental

Um selo musical e gravadora genuinamente de Ribeirão Preto que reúne grandes talentos, novos ou consagrados instrumentistas, compositores e intérpretes de música instrumental e promove um intercâmbio de musicalidade e cultura, conectando pessoas, do Brasil e de outros lugares do mundo, por meio do jazz e da música instrumental: esse é o Blaxtream.

“Blaxtream é uma união de pessoas em prol de um propósito comum. Formalmente é definido como selo, mas é um movimento em seu DNA. Um projeto apresentado em temporadas anuais e que, em 2018, teve sua segunda temporada. Em todos os álbuns registrados, fizemos gravações de videoaulas desses músicos incríveis que servirão como fontes de estudos para músicos que desejam se aprofundar e se aprimorar”, explica Thiago Monteiro, músico e empresário, e um dos idealizadores do projeto. “É um incentivo ao desenvolvimento de novos instrumentistas, compartilhando conhecimentos, técnicas e experiência, fomentando essa importante e rica vertente da música mundial”, completa.

Além das gravações, o projeto também disponibiliza as partituras para download pelo seu site, onde os discos também podem ser baixados, em três opções de resolução: mp3, qualidade de CD e em HD (qualidade mais alta que a do CD). Tudo gratuitamente para download.

“Um de nossos pilares, também, é a valorização dos artistas da nossa região, que internamente definimos como 016, e que é um valor alinhado com o de nosso patrocinador, a Cervejaria Colorado. A cada dois álbuns lançados, um é de um artista 016”, completa a engenheira de produção e máster coach Thalita Magalhães, também idealizadora do projeto.

Thiago conta que tudo nasceu de um sonho. Ele sempre esteve inserido no universo da música instrumental (inclusive como músico), e acabou naturalmente construindo uma relação com os instrumentistas deste segmento. “Nos últimos dez anos, em estúdio, estava registrando obras de músicos incríveis e ficava maravilhado vendo esses grandes discos sendo produzidos, tantas performances brilhantes. Paralelamente, pelas redes sociais, a cada dia nos surpreendíamos com um novo talento, postando sua performance ali, despretensiosamente. Percebi que estávamos testemunhando o início de uma geração muito especial. Porém, cada músico isoladamente fazia sua correria para conseguir registrar e divulgar suas obras, sendo por meio de leis de incentivo, crowdfunding (financiamento pela multidão, em tradução literal-, é uma modalidade de investimento onde várias pessoas podem investir) ou na raça. Entendi que seria o momento ideal para que a ideia ganhasse vida. E começou a se tornar realidade em 2015”, conta.

Principais trabalhos produzidos

Em dezembro passado a Blaxtream lançou o seu 12° álbum. “É difícil elegermos principais! Cada um é tão especial nessa história, algo que prezamos muito. Deixamos clara a importância de que todos que participam do projeto entendam do que estão fazendo parte, do propósito”, diz Thalita. “Porém, podemos dizer que o vídeo onde promovemos um intercâmbio, reunindo músicos de oito países que historicamente viveram conflitos, foi um momento muito especial. Em cinco dias teve um alcance de mais de cem mil pessoas, em mais de 40 países. O vídeo reuniu músicos da Rússia, Ucrânia, Alemanha, França, Angola, Áustria, Brasil e Síria, além da participação especial da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto”, diz a produtora.  “A mensagem que gostaríamos de transmitir, é que, quando diferentes pessoas, de diferentes culturas/países, tocam juntos uma música instrumental, estão falando a mesma língua”, ressalta.

Thiago detalha que se emocionou com um fato relacionado a um dos trabalhos. “A música ‘Nuance’, de Fabio Gouvea, foi escolhida para a gravação do vídeo em 2017. Em 2018, quando Fabio Gouvea viajou à Rússia para se apresentar durante a Copa do Mundo, acabou se encontrando com Daria Chernakova (baixista russa que participou do vídeo) e juntos fizeram um show em Moscou. Ou seja, o propósito da música instrumental como um instrumento de união de pessoas de diferentes culturas, acontecendo ali, foi emocionante”.

Projetos para 2019

Neste ano que se inicia as gravações continuarão a ocorrer em Ribeirão Preto, com novos nomes, talentos. Haverá uma ação para que interessados de todo o Brasil enviem seus trabalhos, onde será realizada uma curadoria e a Blaxtream contemplará nomes que ganharão a gravação do álbum e o lançamento pelo selo. “Dentre novas diretrizes, estão também a internacionalização do selo. Em setembro fizemos nosso primeiro lançamento internacional, em Paris. Passaremos a registrar também trabalhos de fora do Brasil (como a baixista russa Daria Chernakova, que virá em fevereiro)”, antecipa Thalita.

“Participaremos do Jazzahead!, mais importante feira/exposição de Jazz da Europa, que acontece na Alemanha. Além das gravações e shows, existe o projeto de um Festival Internacional de Jazz em Ribeirão Preto”, finaliza Thiago.

Álbuns podem ser baixados gratuitamente

Todos os conteúdos da Blaxtream, inclusive os álbuns, podem ser acessados e baixados gratuitamente em blaxtream.com/albuns.

“É fundamental ressaltar que esse projeto só se tornou possível, graças a união de pessoas e empresas que acreditam nesse propósito: Cervejaria Colorado, Azul Linhas Aéreas, TRYP Hotels by Windham, NW3 Comunicação, Rivière Studios, Fritz Dobbert Pianos, ZOE Films, Multigraph Gráfica, Sesc Ribeirão e Shopping Iguatemi. E também pelo apoio dessas pessoas incríveis, Joel Lauand, Guilherme Carvalho, Duda Lazarini, Vânia Lucas, Nícholas Abdo, Bruno Barbosa, Beto Eliezer, Rafael Said, Sandami, Juninho Tamburus, Thiago Carreri, Darielis Magalhães, Davi Ferreira, que de alguma forma se doaram e colaboraram para que o projeto acontecesse”, finalizam idealizadores da Blaxtream.

 

Comentários