Selo faz homenagem a escritores acadêmicos

0
15
DIVULGAÇÃO/ECT

Os fundadores das cadeiras 23 e 27 da Academia Brasileira de Letras, Machado de Assis e Joaquim Nabuco, são homena­geados em emissão da Empresa Brasileira de Correios e Telégra­fos (ECT). O pré-lançamento ocorreu no final da tarde desta quinta-feira, 18 de julho, na sede da ABL, no Rio de Janeiro.

Joaquim Maria Machado de Assis, jornalista, contista, cronista, romancista, poeta e teatrólogo, nasceu no Rio de Janeiro (RJ) em 21 de junho de 1839. Iniciou a carreira com a tradução de “Queda que as mulheres têm para os tolos” (1861).

Seu primeiro livro de poe­sias, “Crisálidas”, saiu em 1864. Em 1867, foi nomeado ajudan­te do diretor de publicação do Diário Oficial. Dois anos de­pois, em 12 de novembro, ca­sou-se com Carolina Augusta Xavier de Novais, que foi sua companheira por 35 anos.

Machado de Assis cola­borou na Revista Brasileira, participando do grupo que planejou a criação da ABL, inaugurada em 28 de janeiro de 1897. Naquele ano, foi elei­to presidente da instituição, cargo que ocupou por mais de dez anos. O escritor se dedicou à academia até o fim da vida, falecendo em 29 de setembro de 1908, também na cidade do Rio de Janeiro.

Escritor e diplomata, Joa­quim Aurélio Barreto Nabuco de Araújo nasceu no Recife (PE) em 19 de agosto de 1849. Era filho do senador José To­más Nabuco de Araújo e de Ana Benigna Barreto Nabuco de Araújo. Iniciou o curso de Direito em São Paulo, a partir de 1865, mas formou-se em seu Estado natal, em 1870. Foi adido de primeira classe em Londres, Inglaterra, depois em Washington, Estados Unidos, de 1876 a 1879.

De 1881 a 1884, Joaquim Nabuco viajou pela Europa e publicou sua primeira obra, “O Abolicionismo”. Ao ser procla­mada a República, em 1889, já de volta ao país, retirou-se da vida pública, dedicando-se à sua obra e ao estudo.

Nessa fase, enquanto es­crevia duas de suas obras mais importantes, “Um Estadista do Império e Minha formação”, estreitou relações de amizade com Machado de Assis e parti­cipou das reuniões prelimina­res de instalação da ABL, sen­do designado secretário-geral da Instituição na sessão de 28 de janeiro de 1897. Exerceu o cargo até 1899 e, também, de 1908 a 1910, quando faleceu em Washington (EUA).

A emissão
As fotos dos Imortais da ABL foram trabalhadas digi­talmente para refletir um tom quase dourado. No centro da composição, foi aplicado o ex-libris da Academia em vetor, com único toque em cor verde e os nomes inse­ridos em faixas idênticas, ressaltadas por suave sombra para dar destaque.

As técnicas utilizadas foram fotografia e computação gráfica. A emissão tem tiragem de 120 mil selos, no valor de R$ 2,10 a unidade. As peças estarão dis­poníveis, a partir deste sába­do, 20 de julho, nas principais agências de todo o país e tam­bém na loja virtual dos Correios.

Comentários