Servidor do Daerp colore fotos antigas

0
24

Imaginar como seria Ri­beirão Preto no início do século passado, com os de­talhes e cores, uma vez que os registros que existem da época são todos em preto e branco. Essa curiosidade levou o servidor Carlos Eduardo Pe­reira a colorir fotos antigas da cidade e de pessoas daquela época. O trabalho despertou a atenção de muitas pessoas que viram suas fotos em seu perfil no Facebook.

Pereira é funcionário do De­partamento de Água e Esgotos de Ribeirão Preto (Daerp) e já coloriu, por meio de um pro­grama de computador, mais de 100 fotos antigas da cidade e de moradores do início do século 20, um retrato mais fiel de seria a cidade naquela época.

Pereira explica que come­çou a colorir fotos antigas que tinha em sua casa, da própria família. A família adorou o seu trabalho e, atendendo a um pedido da irmã, resolveu colorir algumas fotos antigas de Ribeirão Preto que ela ti­nha no computador.

O servidor começou a tra­balhar nas fotos antigas nos finais de semana e nos horá­rios de folga em casa. Depois de pouco mais de um mês de trabalho resolveu postar no seu perfil no Facebook e se surpreendeu com a reação. “As pessoas começaram a elogiar o trabalho e a com­partilhar”, diz.

“Foram mais de 500 com­partilhamentos e passei a re­ceber mensagens de elogio e de pessoas me enviando fotos antigas para que fossem colo­ridas. Foi uma surpresa para mim”, explica Pereira.

Ele lembra que o trabalho começou para ocupar o tempo vago, que antes da pandemia era preenchido pela banda Contagem Regressiva, da qual é tecladista, e que agora está parada sem fazer shows.

Carlos Eduardo Pereira explica que não esperava esta reação e repercussão do seu trabalho. Ele conta que ainda tem muitas fotos antigas para serem coloridas, a maioria são de pessoas. A maior parte das fotos de locais e paisagens já foram coloridas.

A repercussão foi tanta que já foi procurado por pessoas de outras cidades interessadas em que ele fizesse este trabalho de colorir fotos antigas contando a história destes municípios. “Foi coincidência eu colocar o trabalho no ar próximo do aniversário de Ribeirão Preto e isso chamou mais ainda a aten­ção”, comenta.

Pereira afirma que a maior surpresa dele foi a procura por profissionais ligados a fotografia que queriam en­tender a técnica utilizada. “Muitos me perguntaram como conseguir fazer, por­que já tinham tentado e não conseguiram a qualidade que eu obtive no meu trabalho”, explica o servidor do Daerp.

Pereira já pensa até em pas­sar a dividir permanentemente seu tempo livre entre os shows da banda Contagem Regressi­va com o trabalho de colorir fotos antigas. O seu trabalho pode ser visto na sua página Eduardo Pereira no Facebook.