DIVULGAÇÃO

Instalações, desenhos, site specific, registros de perfor­mances e outras ações artísticas criadas por Simone Moraes ao longo dos últimos cinco anos estão em cartaz no Palacete 1922 (Jorge Lobato), no Centro Histórico de Ribeirão Preto, até este sábado, 8 de dezembro. A mostra individual “Desabro­char de um modo ou de outro” reúne trabalhos da artista visual Simone Moraes, com curadoria de Galciani Neves, e vai além da tradicional exposição de arte em um museu ou galeria.

O projeto propõe uma re­sidência artística de Simone Moraes, que transfere para o es­paço do Palacete 1922 seu ateliê durante o período da mostra. Estimulando a interação criati­va com os visitantes, promove oficinas e conversas abertas ao público com a participação de artistas que são referência para a pesquisa de Simone Moraes.

Natural de Ribeirão Preto, com pesquisa e obra artística desenvolvidas entre Goiás e São Paulo, a artista tem em sua investigação vestígios de paisa­gens, estruturas orgânicas, cole­tas e expedições em ambientes naturais, produzindo um tra­balho de resgate de memória. Dessa pesquisa resultam formas, repetições e sobreposições de diversos materiais, que se desdo­bram em objetos, intervenções, colagens, desenhos e fotografias, que estão em exposição em Ri­beirão Preto.

Para dar ao público a dimen­são de como sua obra é desen­volvida, a mostra apresenta essa interface sensível, proposta pela artista entre os procedimentos de produção artísticos e as mui­tas paisagens e ecossistemas habi­tados por Simone Moraes. Duran­te o tempo de duração do projeto/ exposição, a artista dá continuida­de às suas pesquisas no ambiente do Palacete 1922. Recebe em seu ateliê, transferido para Ribeirão Preto, os visitantes que queiram experimentar processos criati­vos para criar em conjunto.

“A curadoria da mostra pensou essa residência artís­tica como uma grande insta­lação. O ambiente do Palacete 1922, suas portas, pisos, vitrais, sua memória, a resistência des­se patrimônio, tudo interfere nas obras que estão expostas, criando uma experiência di­ferente de uma exposição fei­ta em uma galeria ou museu, pensados como um cubo bran­co”, explica Simone Moraes.

O projeto também coloca à disposição dos visitantes uma publicação com o catálogo das obras expostas no Palacete 1922 e informações educativas. Mais informações e agendamentos de grupos com o Museu de Arte de Ribeirão Preto Pedro Manuel- Gismondi (Marp) pelos telefo­nes (16) 3635-2421 e 3941-0089 e pelo e-mail [email protected] pmrp.com.br. O Palacete 1922 fica na rua Álvares Cabral nº 716, no Centro Histórico.