Grandes clássicos italia­nos serão executados du­rante a próxima edição da Série Concertos Internacio­nais, da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto (Osrp). A apresenta­ção será neste sábado, 17 de agosto, às 20h30, no Theatro Pedro II, sob a regência do maestro titular Reginaldo Nascimento. O espetáculo contará com as performan­ces dos solistas Carla Barre­to (soprano), Cristina Modé (mezzo-soprano), Alan Faria (tenor) e Luiz Felipe (baixo).

O coro adulto do projeto To­cando a Vida também vai parti­cipar. O repertório contemplará músicas como “O Sole Mio”, de Eduardo Di Capua (1865-1917); “O Mio Babino Caro”, da ópera “Gianni Schicchi”, de Giacomo Puccini (1858-1924), “Nessum Dorma”, de “Turandot”, também de Puccini; “E strano! E strano!” e “Brindisi”, de “La Traviata”, de Giuseppe Verdi (1813-1901), “La Dona é Mobile”, da ópera “Rigoletto”, também de Verdi; e “Come dal Ciel Precipita”, da ópera “Macbeth”, outra de Verdi.

Também estão no pro­grama“Intemezzo”, da ópe­ra “Cavaleria Rusticana”, de Pietro Mascagni (1863- 1945); “Torna a Surriento”, de Ernesto De Curtis (1875- 1937); “Ária da Calunia”, da ópera “O Barbeiro de Sevi­lha”, de Gioachino Rossini (1792-1868); “Mattinata”, de Ruggero Leoncavallo (1857- 1919), “Tarantela” (tradicio­nal italiana); “Funiculí, Fu­niculá”, escrita por Giuseppe “Peppino” Turco (1846-1907) e musicada por Luigi Denza (1846-1922); e “Alla Rustica Rv 151”, de Antonio Vivaldi (1678-1741), dentre outras.

“Mais uma noite inesque­cível para o público e os músi­cos. Entoaremos as principais canções italianas, clássicos que emocionam e animam os es­pectadores”, destaca Reginaldo Nascimento, maestro da Or­questra Sinfônica de Ribeirão Preto. No domingo, às 10h30, será a vez do projeto Juventude tem Concerto, com um reper­tório inédito para o público, também no Theatro Pedro II – a participação é gratuita e aberta ao público.

Entre as canções executa­das estão cantigas do folclore brasileiro e clássicos do cine­ma infantil. A regência será de Reginaldo Nascimento com a participação dos so­listas Guilherme Carvalho e Michelle Picaço. Durante a exibição, maestro e músi­cos conversarão com a pla­teia tornando a apresentação educativa e interativa. Eles abordam o contexto histó­rico das obras e explicam os instrumentos dos solistas. O objetivo dessa dinâmica é democratizar a cultura e a música erudita para toda a comunidade, principalmente crianças e jovens, presentes no evento.

Os ingressos estão à ven­da no site www.ingressorapi­do.com.br (Ingresso Rápido) e na bilheteria do Theatro Pedro II, na rua Álvares Ca­bral nº 370, no Quarteirão Paulista, no Centro Histórico de Ribeirão Preto, e custam R$ 60 (plateia e frisa), R$ 40 (balcão nobre) e R$ 20 (bal­cão simples). Para portado­res de deficiência devem ser comprados diretamente no guichê do teatro.

A meia-entrada para es­tudantes, coordenadores pedagógicos, supervisores e diretores e professores de es­colas públicas das redes mu­nicipal e estadual (mediante apresentação de documento comprobatório como cartei­rinha da instituição, boleto de mensalidade ou holerite), aposentados (com documen­to específico), idosos acima de 60 anos (com cédula de identidade, o RG) e portador de deficiência com acompa­nhante custa R$ 30, R$ 20 e R$ 10, respectivamente.

Ensaio Aberto
Nesta sexta-feira (16), às nove horas, o Theatro Pe­dro II abre suas portas para mais uma edição do projeto Ensaio Aberto, uma parceria com a Secretaria Municipal da Educação e a Osrp. Cer­ca de 500 crianças e jovens da rede de ensino municipal e particular, além de assistir ao ensaio da orquestra, a mais antiga em atividade ininter­rupta no Brasil, vão conhecer a grandiosidade do terceiro maior teatro de ópera do país.

A presidente da Fundação Dom Pedro, Mariana Jábali, cita a importância da forma­ção de uma plateia jovem, de um novo público para o teatro. “A educação musical, muitas vezes, é feita na pró­pria escola, e os pais sempre fazem um esforço para pro­porcionar aos filhos o acesso ao Theatro Pedro II, um pal­co fantástico, um lugar belís­simo e o melhor, com a nossa Orquestra Sinfônica. Unir tudo isso é muito importante para nós”, afirma.

Sinfônica
A Orquestra Sinfônica tem cerca de 45 músicos e é mantida pela Associação Musical de Ribeirão Preto, criada em 1921 por músicos e abnegados. Oficialmente, foi fundada por Max Bartsch e fez sua primeira apresen­tação em 1938. Desde então, a Osmrp funciona de modo ininterrupto e vem desenvol­vendo importantes projetos que difundem a música eru­dita, reafirmando seu papel de destaque no setor artístico e nos cenários municipal e nacional.

Já se apresentou nas mais diversas salas de concerto do Brasil e, desde sua fundação, seu principal palco para a apresentação tem sido o The­atro Pedro II, no coração de Ribeirão Preto. Conta com violinos, viola, violoncelo, contrabaixo, flautas, oboé, clarineta, fagote, trompa, trompete, trombone, trom­bone baixo, tuba, tímpano e percussão. O maestro titular é Reginaldo Nascimento.

Desde 29 de maio é patri­mônio cultural imaterial da cidade. Em março de 2019, anunciou seu reposiciona­mento e adotou o nome de Orquestra Sinfônica Metro­politana de Ribeirão Preto, estabelecendo uma conexão direta com os 34 municípios da Região Metropolitana – o novo nome ainda está em fase de aprovação no governo federal. Possui vários projetos, en­tre eles o “Tocando a Vida”, “Ensaio Aberto”, “Música So­lidária”, “Música nas Igrejas”, “Ciranda Sinfônica” e a série “Concertos Especiais”, além das mensais já citadas.

Comentários