SP ultrapassa 34,6 mil óbitos por covid

0
18
GOVERNO DE SÃO PAULO

O estado de São Paulo re­gistrou mais 185 mortes por covid-19 em 24 horas – cerca de uma a cada sete minutos e 30 segundos – e o número de óbitos em decorrência da infecção por coronavírus nas 645 cidades paulistas está pas­sou de 34,5. Nesta quinta-fei­ra, 24 de setembro, subiu de 34.492 para 34.677, aumento de 0,53% em relação aos com­putados até quarta-feira (23).

O recorde de vítimas fa­tais em apenas um dia per­tence a 13 de agosto, de 455 falecimentos – antes era de 23 de junho, de 434 mortes por Sars-CoV-2. O governo estadual também anunciou mais 6.267 novos casos de coronavírus em 24 horas. O número de pessoas infecta­das pelo novo vírus passou de 958 mil e subiu de 951.973 para 958.240 nesta quinta­-feira, aumento de 0,66%.

O recorde diário de novos casos também é de 13 de agos­to, de 19.274. O anterior per­tencia a 22 de julho, de 16.777 infecções por Sars-CoV-2. Pre­visão divulgada pelo Centro de Contingência do Coronavírus projeta que até 30 de setembro o estado somará entre 960 mil e 1,05 milhão de infectados e entre 35 mil e 38 mil mortes pelo novo coronavírus.

Segundo o projeto Moni­tora Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a média móvel de casos no estado de São Paulo subiu de 5.219,29 em 13 de setembro para 6.283,29 na segunda-feira (21), alta de 20,4%. Nos óbi­tos, atingiu 150,71 no dia 8 e 191,71, aumento de 27,2%.

Entre os pacientes diag­nosticados com a doença, 821.045 pessoas estão recu­peradas (85,7% do total de 958.240). O número conta­biliza 104.850 que estiveram internados, foram curados e receberam alta hospitalar (12,8%). Os demais 716.195 tiveram diagnóstico positivo da doença, mas não precisa­ram de internação por apre­sentar quadros leves (87,2%).

A taxa de letalidade segue em 3,6%. É o patamar mais bai­xo desde o início da pandemia – no começo de maio, chegou a 8,6%. Há pelo menos uma pessoa infectada pelo novo coronavírus em todos os 645 municípios paulistas (100%). Destas, 566 registraram um ou mais óbitos (87,7%).

O número de pacientes in­ternados é de 9.310, sendo 5.293 em enfermaria (56,9%) e 4.017 em unidades de terapia intensiva (43,1%). As taxas de ocupação dos leitos de Unida­de de Terapia Intensiva (UTI) estão em 45,8% na Grande São Paulo (era de 46,1% na quarta­-feira) e 46,7% no estado (era de 46,9% anteontem).

Entre as vítimas fatais es­tão 20.055 homens (57,8%) e 14.622 mulheres (42,2%). Os óbitos continuam concentra­dos em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 76,2% das mortes. Observando faixas etárias, nota-se que a mortali­dade é maior entre 70 e 79 anos (8.893), seguida pelas faixas de 60 a 69 anos (8.132) e 80 e 89 anos (7.075).

Os principais fatores de risco associados à mortali­dade são cardiopatia (59,5% dos óbitos), diabetes mellitus (43,1%), doenças neurológi­cas (10,9%), renal (9,6%) e pneumopatia (8,3%). Entre as pessoas que já tiveram con­firmação para o novo corona­vírus estão 446.963 homens (46,7%) e 505.177 mulheres (52,7%). Não consta infor­mação de sexo para 6.100 casos (0,6%). A faixa etária que mais concentra casos é a de 30 a 39 anos (226.342), seguida pela faixa de 40 a 49 (198.950).

Comentários