Suely Vilela terá apoio do PCdoB

0
52
FOTO: ALFREDO RISK/ARQUIVO - DETALHE: DIVULGAÇÃO

O advogado Vanderley Caixe, do Partido Comunis­ta do Brasil (PCdoB), de 43 anos, oitavo colocado entre os nove candidatos a pre­feito de Ribeirão Preto nas eleições municipais de do­mingo (15), anunciou, por meio de nota, que ele e a legenda vão apoiar a profes­sora e ex-reitora da Univer­sidade de São Paulo (USP), Suely Vilela, do Partido So­cialista Brasileiro (PSB), de 66 anos, no segundo turno, marcado para dia 29.

Em nota, o presidente do PCdoB em Ribeirão Preto, Glauber da Silva, disse que, no segundo turno, a eleição tende a polarizar projetos diferentes para a cidade e considera Suely Vilela uma alternativa ao concorrente, apontado por ele como con­servador e alinhado com po­líticas neoliberais.

“Um contraponto im­portante no cenário político municipal, capaz de vencer as eleições e de abrir novas possibilidades para os seto­res democráticos e progres­sistas da nossa cidade. Nes­se sentido, o PCdoB declara apoio à candidata Suely Vi­lela (PSB) para a disputa do segundo turno das eleições municipais 2020 em Ribei­rão Preto”, comunica.

Vandelery Caixe termi­nou o primeiro turno com 669 votos (0,27%), na oitava posição. Já Suley Vilela foi a segunda colocada último domingo com 52.266 vo­tos (20,72% dos válidos) e vai disputar a segunda etapa com o engenheiro agrônomo Duarte Nogueira, do Partido da Social Democracia Brasi­leira (PSDB), que tenta a ree­leição. O tucano, de 56 anos, conquistou 115.724 votos, 45,87% dos válidos e termi­nou a primeira fase em pri­meiro lugar.

Também por meio de nota, o Rede Sustentabilidade confirmou que não vai apoiar candidatos no segundo turno das eleições municipais em Ribeirão Preto, contrarian­do a declaração do professor universitário Emilson Rovei, de 59 anos, que na terça-fei­ra, 17 de novembro ao decla­rar apoio pessoal a Nogueira disse que a elegenda deveria seguir o mesmo caminho.

A decisão foi tomada em reunião virtual pelo partido Na nota, o Rede Sustentabi­lidade informa que o partido decidiu se manter neutro na disputa e que os correligio­nários foram orientados a fazer suas próprias escolhas no segundo turno.

“Por consenso liberou seus filiados para manifestar apoio e ou votar individual­mente, no (a) candidato (a) de sua escolha. Esperamos que o (a) eleito (a) governe sempre alinhado (a) com as demandas da sociedade”, co­municou. Roveri foi o nono e último colocado no primei­ro turno e obteve 556 votos (0,22% dos válidos).

Nesta quinta-feira, 19 de novembro, o Partido Socia­lismo e Liberdade (Psol), do candidato a prefeito e professor Mauro Inácio, de 51 anos, sétimo no primei­ro turno com 3.115 votos (1,23% dos válidos), também emitiu nota nas redes so­ciais para avisar que não vai apoiar ninguém no segundo turno. A decisão foi tomada após reunião da executiva da legenda no município.

O comunicado informa que o Psol não concorda com a ideologia política dos concorrentes. O promotor aposentado Antônio Alber­to Machado, do Partido dos Trabalhadores (PT), de 61 anos, sexto colocado com 17.190 votos (6,81%), ainda não se manifestou.

Na quarta-feira (18), a professora e historiadora Cristiane Bezerra (MDB), de 52 anos, quarta colocada, declarou apoio a Duarte No­gueira. Segundo ela, o apoio ao tucano foi definido após conversa de quase duas horas com o candidato no dia se­guinte ao primeiro turno.

Cris Bezerra terminou o primeiro turno em quarto lu­gar, com 17.800 votos (7,06% dos válidos). Já o candidato a prefeito pelo Partido Reno­vador Trabalhista Brasileiro (PRTB), coronel da reserva da Polícia Militar Luis Hen­rique Usai – que ficou em quinto lugar no primeiro tur­no com 17.455 votos (6,92% dos válidos) –, de 56 anos, divulgou áudio por aplicati­vo de mensagem deixando clara sua posição e disse que não apoiará Duarte Nogueira nem Suely Vilela.

Afirmou ainda que os par­tidos dos candidatos – PSB e PSDB – são de “esquerda” e que ele não apoia esta cor­rente ideológica. No áudio, o policial militar da reserva diz também que vai pedir ao seu eleitor para não votar em No­gueira. Porém, avisa que não pedirá para alguém votar em Suely Vilela.

Outro que não apoiará ne­nhum dos dois candidatos é o professor de literatura e in­glês Fernando Chiarelli (Pa­triota), de 63 anos, terceiro colocado no primeiro turno com 27.511 votos (10,9% dos válidos), por não compactuar com as ideias de Duarte No­gueira e Suely Vilela.

Comentários