Jornal Tribuna Ribeirão

Teatro de Arena aguarda licitação

ALFREDO RISK/ARQUIVO

A prefeitura de Ribeirão Preto rescindiu, de forma unilateral, o contrato com a empresa JAV Construções, vencedora da licitação e res­ponsável pela revitalização do Teatro de Arena Jaime Zeiger. A rescisão foi publica­da no Diário Oficial do Mu­nicípio (DOM) de 5 de julho.

A administração municipal ainda não abriu nova licitaçã e a reforma do teatro está para­da. Por meio nota enviada ao Tribuna pela Coordenadoria de Comunicação Social (CCS), a assessoria de imprensa da prefeitura de Ribeirão Preto, a Secretaria Municipal de Cultu­ra e Turismo diz que o proces­so está em andamento.

“A Secretaria da Cultura in­forma que o processo está em andamento. No momento a Caixa Econômica Federal está elaborando a reprogramação da obra e a atualização dos re­cursos. Em seguida será aberto novo procedimento licitatório em conformidade com a legis­lação pertinente.”

A empresa JAV Constru­ções iniciou o trabalho de re­vitalização em agosto de 2020, mas abandonou as obras em maio deste ano alegando de­sequilíbrio financeiro. Tam­bém pedia reajuste no valor do contrato. A construtora afirma que o preço dos materiais de construção, principalmente os elétricos, aumentou muito.

O valor do contrato era de R$ 676.388,82, economia de 15% em relação aos R$ 795.909,91 previstos em edi­tal, desconto de R$ 119.521,09. Segundo a Secretaria Muni­cipal de Cultura e Turismo, a ordem de serviço foi expedida pelo prefeito Duarte Nogueira (PSDB) na primeira quinzena de agosto do ano passado.

A Secretaria Municipal da Cultura informou ao Tribuna que 40% da obra já foi conclu­ída, restando a parte elétrica, estrutura de segurança e hi­dráulica. A pasta ressalta ainda que a rescisão ocorreu de for­ma unilateral devido ao aban­dono do trabalho e que esta postura da administração está prevista em contrato. O Tribu­na não conseguiu falar com re­presentantes da empresa.

Segundo a cláusula con­tratual original, o prazo para entrega do equipamento ter­minou em 15 de maio. após a conclusão da reforma, a rei­nauguração não deve demo­rar muito para ocorrer, já que o avanço da vacinação freou a propagação do coronaví­rus e a ocorrência de casos e mortes por covid-19 está em queda. A reforma prevê obras de revitalização e moderni­zação do espaço cultural, que nos últimos anos foi alvo de depredação e furtos.

A verba foi solicitada ao MTur pelo deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP) junto ao MTur. Os recursos foram aplicados na recuperação e na reposição da fiação elétrica e dos equipamentos hidráulicos, na substituição e na renovação do elevador para atendimen­to da acessibilidade, sistema de câmera de circuito fechado para monitoramento e segu­rança, revitalização e moderni­zação do espaço.

Alvo de uma reforma de R$ 1,3 milhão entre 2012 e 2013, o Teatro de Arena foi vítima de inúmeros furtos de fiação elétrica e acabou interditado em agosto de 2016. Nesse pe­ríodo, até o elevador destinado para pessoas com necessidades especiais foi furtado. Vândalos também levaram torneiras, maçanetas, mobiliário, peças de louça e até o painel de con­trole da energia elétrica.

Depois da reforma, o lo­cal foi reformado e aberto ao público em 2014, quando contou com 27 apresentações diversas. O mesmo aconteceu no ano posterior, em 2015, quando foi fechado. Em 2019, mesmo fechado, o Tea­tro de Arena foi palco da Se­letiva de Bandas do Festival João Rock, simpósio da mú­sica eletrônica, shows de hip hop no aniversário de Ribei­rão Preto e ensaios do grupo Maracatu Chapéu de Sol.

História do Teatro de Arena Jaime Zeiger
O Teatro de Arena Jaime Zeiger completou 50 anos em 2019. Foi inaugurado em 1969, idealizado e construído por Jaime Zeiger numa meia-encosta, em uma área de aproximadamente seis mil metros quadrados. Zeiger realizou pesquisas em vários países da Europa e Oriente Médio para a escolha do local ideal: topografia que favorece­ria a qualidade acústica do teatro.

Foi o primeiro teatro de arena construído no interior do Estado de São Paulo. A peça “Antígona” (de Sófacles) foi o primeiro espetáculo teatral apresentado no espaço cultural. Em 1980,o local ganhou o nome de seu idealizador, Jaime Zeiger. Em 1986, 17 anos depois da abertura, passou pela primeira grande reforma. O espaço foi rei­naugurado um ano depois,em 1987, com show de Jorge Mautner e Nelson Jacobina.

Também já passaram pelo palco do Arena nomes como Gilberto Gil, Vinicius de Morais, João Gilberto, Novos Baianos, Cartola e Os Mu­tantes. O último nome de peso a se apresentar no local foi Paulinho da Viola, em 2015. A arquibancada do Arena possui 15 degraus e abriga duas mil pessoas sentadas. Até a reforma em 2013, o palco era cercado por um fosso d’água. Após a intervenção, o local foi preenchido com pedras brancas.

Deixe o seu comentário:

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com