O Corinthians deve acer­tar a compra do volante Paulo Roberto em breve e garantir a permanência do jogador para a próxima temporada. O joga­dor está emprestado até o fim do ano, mas o clube já chamou o empresário do atleta para discutir uma possível con­tratação e as conversas estão bem encaminhadas para sua permanência. O técnico Fábio Carille pediu para a diretoria tentar segurar o atleta.

O diretor de futebol do Co­rinthians, Flávio Adauto, disse: “Acho que já está até renovado com o Paulo Roberto, acer­tamos tudo, está consolidado que ele fica”. O empresário do atleta, Eduardo Madeira, preferiu não comentar sobre o assunto e pediu para que a diretoria corintiana fosse pro­curada para falar do assunto.

Segundo pessoas próximas ao jogador, houve uma primei­ra conversa produtiva em que as duas partes saíram satisfei­tas e que, de fato, tudo cami­nha para um acerto. Os valores não são conhecidos, mas não seriam cifras que impediriam o acerto. Embora seja reserva, Paulo Roberto está feliz no clu­be e sua prioridade é a renova­ção de contrato.

Paulo Roberto foi utiliza­do em apenas 13 partidas na temporada, mas Carille gosta do jogador devido a sua ver­satilidade. No Corinthians, ele já atuou como volante e também como lateral-direito, substituindo Fagner, quando o titular esteve com a seleção brasileira. A escassez de za­gueiros, após a lesão de Pablo, fez ainda com que ele fosse testado também como zaguei­ro em alguns treinamentos.

Paulo Roberto chegou ao Corinthians no início do ano cercado de desconfiança, já que o clube tentou anteriormente a contratação de Rithely, que era o titular do Sport na ocasião. Sem sucesso, acabou acertando a contratação de Paulo Roberto, que diversas vezes foi reserva da equipe pernambucana.

Clayson – O técnico Fábio Carille parece ter definido o time do Corinthians para encarar o Vitória, no sábado, às 16 horas, no Itaquerão. Nesta quinta-feira, ele comandou mais uma ativida­de tática e esboçou a forma ini­cial para encarar a equipe baiana com Clayson titular, no lugar de Jadson, e a volta de Guilher­me Arana.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui