30.6 C
Ribeirão Preto
13 de agosto de 2022 | 14:43
Jornal Tribuna Ribeirão
SindTur Notícias

Trabalhador brasileiro tem baixa produtividade

Aguinaldo Rodrigues da Silva – Presidente do Sindtur

O trabalhador brasileiro leva 1 hora para produzir o que o americano faz em 15 minutos e, um alemão ou coreano, em 20 minutos, conforme estudos desenvolvidos pelo economista José Pastore, presidente do Conselho de Emprego e Relações do Trabalho da Fecomércio-SP. Isso significa que a produtividade do Brasil é baixa, todavia, não quer dizer que o brasileiro seja preguiçoso ou inapto. Há atrasos na formação e na infraestrutura das empresas, o que afeta os resultados, dizem especialistas. Em termos de riqueza, o Brasil produz em uma hora o equivalente a US$ 16,75, valor que corresponde apenas a 25% do que é produzido nos EUA (US$ 67). Comparado a outros países, como Noruega (US$ 75), Luxemburgo (US$ 73) e Suíça (US$ 70), o desempenho do país é ainda pior.

Setores nos quais a eficiência melhorou como a Agricultura (devido à incorporação maciça de inovações tecnológicas), o Financeiro (devido ao salto dado com base às tecnologias do mundo digital), a Indústria automotiva e Embraer (devido à robotização e racionalização do trabalho), e o setor industrial, que ainda é 23% mais caro que o norte-americano, segundo estudos da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

Em 1980, a produtividade do trabalhador brasileiro era 670% maior do que a do trabalhador chinês e 70% menor do que a americana. Então, por que o Brasil está abaixo de outros países? O acesso a certos recursos no Brasil, como capital humano, físico e financeiro, entre outros, é insuficiente e desfavorável se comparado ao de outros países. Entre os fatores que conspiram contra a produtividade estão: a baixa qualificação e capacidade dos trabalhadores (capital humano), a tecnologia atrasada e mal administrada nas empresas (capital físico), o investimento caro e abaixo do necessário (capital financeiro), a infraestrutura (rodovias, ferrovias, hidrovias, portos insuficientes e sucateados), a burocracia complicada e o ambiente de negócios perverso.

Esse quadro de eficiência do trabalhador e empresas brasileiras nos motivou a dar prosseguimento ao nosso projeto de “Gestão de Conhecimento”, processo de identificação e avaliação dos conhecimentos necessários para o desenvolvimento de um negócio, que em breve o SINDTUR estará levando ao domínio do empresário.

O alastramento do trabalho informal agrava o quadro de baixa produtividade no país (40 milhões de pessoas nessa situação), isso significa que não é apenas o trabalhador que tem baixa formação, é o seu emprego que é de baixa qualidade.

 

Segundo o WTTC, o Setor de Viagens e Turismo no Brasil gerará mais de 1,8 milhão de novos empregos nos próximos anos

Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) disse que, de acordo com seu último Relatório de Impacto Econômico (EIR), nos próximos 10 anos essa indústria no Brasil gerará mais de 1,8 milhão de novos empregos no setor. O relatório também prevê uma taxa de crescimento ano a ano de 2%, em comparação com o crescimento da economia nacional total para o mesmo período.
De acordo com a pesquisa, à medida que a economia global se recupera dos efeitos devastadores da pandemia, os empregos gerados pelo setor turístico começam a aumentar.

 

Atacarejo de beleza

O modelo atacarejo, que ganhou força no varejo alimentar nos últimos anos e se consagrou na pandemia, vem fazendo escola em outros setores. E inspirou a rede Ikesaki Cosméticos, que promete oferecer, além de preços 30%, 40% abaixo da média de mercado, lazer, experimentação e qualificação não só para lojistas, mas também para profissionais da beleza e consumidores finais.

Ainda que o modelo atacarejo seja ainda muito voltado ao custo-benefício, o investimento dessas redes de varejo em linhas premium de higiene e beleza cresceu nos últimos anos.

 

LIMPEZA EM CONDOMÍNIOS: GESTÃO EFICIENTE É GRANDE DESAFIO

Com o crescimento da verticalização das cidades, cada vez mais condomínios de apartamentos e/ou escritórios são instalados nos centros urbanos. A higienização destes ambientes representa um ponto de atenção, uma vez que possuem ampla circulação, especialmente em halls, recepção, elevadores, academias, salões de festas, quadras e outros recintos de uso comum, representando um grande desafio para os mais de 420 mil síndicos no País, que buscam garantir o bem-estar dos moradores e frequentadores.

A contratação de serviços especializados em limpeza e conservação tem sido uma solução não apenas para redução de custos, mas também para garantir a profissionalização dos serviços prestados por equipes treinadas e capacitadas.

 

Publicado acórdão sobre a constitucionalidade da penhora de bem de família do fiador

No julgamento do recurso, prevaleceu o entendimento de que a possibilidade de penhora do bem não viola o direito à moradia do fiador, que exerce seu direito à propriedade ao oferecer seu imóvel como garantia contratual de livre e espontânea vontade, com plena consciência dos riscos decorrentes de eventual inadimplência. Impor essa restrição representaria uma afronta, também, aos princípios da boa-fé objetiva e ao da livre iniciativa.

A utilização deste tipo de fiança beneficia, principalmente, os pequenos e médios comércios e empresas que, pelo valor do aluguel e das condições financeiras dos locatários, precisam de fiador.

Mais notícias

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com