© REUTERS/Denis Balibouse/Direitos Reservados

O organismo independente de apelações da Uefa suspendeu ações disciplinares contra Real Madrid, Barcelona e Juventus resultantes de sua tentativa de criar uma Superliga dissidente, afirmou a entidade reguladora do futebol europeu.

A Uefa iniciou um inquérito sobre os três clubes em 25 de maio, mas disse que suspendeu os processos depois de ser notificada pelas autoridades suíças de uma ordem judicial do tribunal comercial de Madri obtida pela entidade jurídica European Super League Company SL.

“O Organismo de Apelações da Uefa decidiu suspender os processos até segunda ordem”, informou um comunicado publicado no site da Uefa.

No mês passado, o tribunal de Madri pediu ao Tribunal de Justiça da União Europeia que determine se a Fifa e a Uefa estão violando a lei de concorrência da UE ao impedir os clubes de criarem uma Superliga Europeia dissidente.

O tribunal comercial também inquiriu a maior corte europeia se a Fifa e a Uefa podem impor restrições ou penalidades a clubes que continuarem integrando a competição planejada.

A corte também emitiu uma ordem oficial para que Fifa, Uefa e todas as suas federações associadas não adotem “nenhuma medida que proíba, restrinja, limite ou condicione de maneira nenhuma” a Superliga.

A Superliga foi anunciada em 12 de abril por 12 clubes fundadores, mas fracassou menos de 48 horas depois devido à rejeição de torcedores, governos, jogadores e técnicos. Nove clubes (Manchester United, Liverpool, Manchester City, Chelsea, Tottenham Hotspur, Arsenal, Milan, Inter de Milão e Atlético de Madrid) se retiraram oficialmente.