Um mestre espiritualista

0
105
FOTOS: DIVULGAÇÃO

No próximo dia 12 de de­zembro Florêncio Antônio Lopes, ou mestre Florêncio como é conhecido, completará 84 anos de vida. Tem uma his­tória de vida ligada à religião, esoterismo e espiritualidade. Fundou em Ribeirão Preto a igreja Amor Entre os Povos e apesar da idade, tem muitos planos pela frente. Ele conta ao Tribuna um pouco sobre essas oito décadas e meia de vida.

Uma infância turbulenta. Assim pode definir o início da vida do mestre Florêncio. Fruto do relacionamento en­tre Joana e Hiron, foi criado pelos avós paternos, Florêncio e Odilia, desde os dois anos de idade. “Cresci muito agarrado com os meus avós e foi a épo­ca mais feliz de minha vida. Mas, quando ainda era muito pequeno, meu avô adoeceu e meu tio, que também tinha o nome de Florêncio, precisou me trazer para Ribeirão Pre­to para morar com o meu pai biológico”, conta. Florêncio diz que não tinha um bom rela­cionamento com o genitor e, desde muito cedo, precisou trabalhar e ajudar no seu pró­prio sustento.

“Quando vim para cá, a minha vida teve uma transfor­mação muito forte, da mordo­mia que tinha e o carinho que recebia, da noite para o dia se transformou num pesadelo in­terminável, eu tinha que traba­lhar das 6 da manhã até à noite, apanhava do meu pai na maior parte do tempo sem saber o porquê”, lembra.

Ele conta que aos oito anos, tinha que pensar como adulto, ganhar dinheiro para sobrevi­ver. Por iniciativa própria co­meçou a criar galinhas e fazer o comércio das aves. Ganha­va na venda delas e nos ovos. Mais tarde aprendeu a criar peru. “Naquela época era só para as festas de fim de ano, mas dava um lucro danado”. Aprendeu também a plantar milho para o sustento das ga­linhas e dos perus.

Trabalhou ainda na Cate­dral Metropolitana e na Liga das Senhoras Católicas. “O sa­lário que eu ganhava na Liga ia todinho para minha família, já o dinheiro que eu ganhava como coroinha ficava comigo e era todo depositado em uma Caderneta de Poupança na Caixa Estadual”.

Mesmo com as dificuldades formou e tornou-se professor até aposentar e se especializar em Contabilidade Geral, Co­mercial, Industrial, Bancária e de Estatística. “Sem contar que fiz diversos cursos de es­tudos em Equilíbrio da Mente, inclusive com livros meus edi­tados: Controle de Emoções Para Bem-estar e Qualidade de Vida; Estudo Profundo Sobre o Poder da Mente em Nossa Vida e Curso de Meditação”.

Caminho esotérico
Florêncio afirma que teve muitas influências na vida re­ligiosa. “Otto Benz, José Bispo, Padre Donizete, Baruffi, Padre Paulo, Padre José, dona Am­brozina, meu avô Florêncio paterno, minha avó Adélia”.

Tudo começou quando ain­da era muito criança e morava com os avós, em São Paulo. Antes de morrer, o avô que frequentava o Círculo Esoté­rico da Capital apresentou­-lhe, quando tinha 4 anos, a um grande amigo, Otto Benz, que acabou se tornando uma referência. Na mudança para Ribeirão Preto, com as dificul­dades familiares, Otto exerceu uma influência muito grande no caminho esotérico.

Com menos de 9 anos de idade começou a frequentar as reuniões esotéricas (que hoje tem a sua sede na Rua Tamandaré). “Lá ajudava ao senhor Otto em tudo, em vender os óleos, os anéis e outros artigos esotéricos”.

Igreja Amor Entre os Povos
Autodidata em estudos no comportamento humano e suas reações e com conhe­cimento esotérico, Florêncio foi um dos idealizadores e fundador, em Ribeirão Preto da igreja Amor Entre os Po­vos. “Apliquei e aplico tudo (na igreja) o que aprendi nes­ses cursos, além da minha bagagem espiritual”.

Florêncio explica que a Amor Entre os Povos é uma religião espiritualista que teve seu primeiro Estatuto Social registrado em cartório em 1990. “É uma religião que acei­ta, admira e concorda com todas as outras religiões que pratica o bem e que são des­garradas da parte financeira e que tem como objetivo aca­bar com tanto ódio, violência, guerras, fome e vícios”, prega.

Segundo ele, na igreja são ensinados exercícios mentais que são utilizados para a cura da mente e do corpo. “Orien­tamos como evoluir espiritu­almente para que os caminhos sejam abertos, como buscar sabedoria para manter os la­res e a família com os fluídos da paz, saúde, amor, evolução espiritual, material, harmonia, justiça e fartura”, completa.

A igreja é basicamente nor­teada em três pilares: espiritu­alismo, esoterismo e telepatia. Ele explica cada um. No espiri­tualismo a igreja segue o exem­plo de mestres religiosos que passaram pelo mundo. “Esses mestres, entre outros, são Je­sus de Nazaré, Buda, Confú­cio, Madre Tereza de Calcutá, Irmã Dulce, etc…”, exemplifica.

No esoterismo estuda e aplica os mistérios e energias da natureza. “Através disso, desenvolvemos as aberturas de caminhos dos seres humanos”, diz. E na telepatia, Florêncio afirma que fazem “vibrações mentais para a paz de cada um, para o bem-estar da família e dos seres humanos”.

A igreja, que tem uma subsede em São Joaquim da Barra, sobrevive de doações e campanhas voluntárias que acontecem de forma recorren­te, como a venda do nhoque fitness, todo começo do mês, ou de almoços (um dele será realizado neste domingo (8), no Salão Círculo Operário).

Legado e sonhos futuros
Florêncio diz que deseja deixar um legado de verdade, amor, equilíbrio e o bem viver individual e familiar. “São os lemas que guiam a minha mis­são e a trajetória do Amor En­tre os Povos. O meu desejo ao longo dos anos foi e é contri­buir para paz do mundo e das pessoas, ensinando-as como atingir o bem-estar da família apurando a sua fé e aperfeiço­ando o seu desenvolvimento espiritual e material”.

Sobre o futuro, conta que o maior sonho é construir a sede própria da igreja. “Para ampliar nossos atendimentos e, com isso, atingir um número maior de pessoas que precisam de atendimento espiritual e orientação”, finaliza.

Comentários