A USP-Filarmônica, que abriu a temporada de espetáculos gra­tuitos de 2019 em 26 de março com obras de grandes mestres como Antonio Vivaldi (1678- 1741), Johann Sebastian Bach (1685-1750) e Wolfgang Ama­deus Mozart (1756-1791), além de composições coloniais brasileiras, voltará ao palco na próxima ter­ça-feira, 23 de abril, para mais um evento da série Concertos USP/ Theatro Pedro II.

O espetáculo, o 116º con­certo da USP-Filarmônica, terá início às 20h30, no Theatro Pe­dro II, com a presença de solis­tas internacionais e regência do maestro Rubens Russo­manno Ricciardi. O concerto terá a participação da pianista Emannuelle Stephan (de Nice, França) e da violinista Véroni­que Mathieu (Toronto, Canadá) como solistas convidadas, além da violinista Carla Rincon (ve­nezuelana radicada no Rio de Janeiro) como spalla.

A orquestra abrirá a noite com o “Concerto nº 12 para piano e orquestra em lá maior KV 414”, de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), com solo da pia­nista Emanuelle Stephan, que se apresenta pela primeira vez na América Latina. O espetáculo se­gue com formação camerística na execução do “Rondó para violino solo com acompanhamento de quarteto de cordas em lá maior”, de Franz Schubert (1797-1828), com a solista Véronique Mathieu.

Por fim, a USP-Filarmônica apresentará ainda a “Sinfonia clás­sica”, de Serguei Prokofiev (1891- 1853), na íntegra de seus quatro movimentos, a célebre obra que inaugurou o estilo neoclássico na música do século XX. Os concer­tos da USP-Filarmônica são gra­tuitos e em Ribeirão Preto não é feita a impressão de ingressos. O mesmo repertório será leva­do ao Teatro Municipal de São Carlos, na quarta-feira (24), às 20h30, com retirada de ingres­sos uma hora antes do concerto. Mais informações pelo telefone (16) 3315-3136.

A USP-Filarmônica tem duas flautas, um oboé, uma clarineta, um fagote, duas trompas, dois trompetes, uma percussão, cinco primeiros violinos, cinco segun­dos violinos, três violas, quatro violoncelos e dois contrabaixos.

O Theatro Pedro II fica na rua Álvares Cabral nº 370, no Quar­teirão Paulista, Centro Histórico de Ribeirão Preto. O local tem ca­pacidade para 1.588 pessoas, mas parte foi interditada por seguran­ça. Atualmente conta com 1,3 mil lugares. Telefone para mais infor­mações: (16) 3977-8111. O espe­táculo não tem restrição de idade.

É formada por alunos do Departamento de Música da Fa­culdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Uni­versidade de São Paulo (FFCLRP -USP), que promove séries men­sais de concertos em parceria com a prefeitura de Ribeirão Preto, por meio da Fundação Dom Pedro II, Grupo Coordenador de Cultura e Extensão-USP São Carlos e Es­cola de Engenharia de São Carlos (EESC), ambos da USP, e prefeitu­ra de São Carlos.

Emmanuelle Stephan
Pianista francesa, Emmanuel­le Stephan foi aluna de Yuri Klem­pert, da Escola Russa de piano de Heinrich Neuhaus. Vencedora de concursos desde sua juventu­de, iniciou seus estudos de piano no Conservatório de Música de Luxemburgo com Marco Kraus e depois com Jean Muller, com especialização na Juilliard School, em New York (EUA).

Estudou ainda na Escola Su­perior de Música de Viena com a pianista russa Lilya Zilberstein. Completou sua formação de con­certista na Schola Cantorum de Paris, sob os ensinamentos de Ga­briel Tacchino, aluno e intérprete de referência de Poulenc. Apresen­ta-se como recitalista e concertista na França, em festivais e também pelo mundo: Itália, China, Bélgica e também na Alemanha. Frente à USP-Filarmônica agora tem seu debut na América Latina.

Véronique Mathieu
A violinista canadense Véro­nique Mathieu atua como solista, camerista e educadora musical. Seu CD “Argot” foi recentemente apresentado pela BBC (com obras de Lutoslawski). Outros destaques incluem a estreia canadense do Concerto de Violino de Marc-An­dré Dalbavie com a Esprit Orches­tra, apresentação da Chaconne de John Corigliano, o lançamento de um CD com a pianista Stephanie Chua e vários recitais pela Améri­ca do Norte.

Atualmente é professora asso­ciada de Violino na Universidade de Saskatchewan e professora convidada da Toronto School for Strings, tendo atuado anterior­mente na Universidade Estadual de New York, em Buffalo, e na Universidade do Kansas.

Carla Rincon
A premiada violinista Carla Rincon é venezuelana radicada no Rio de Janeiro e foi indica­da ao Grammy Latino, Prêmio da Música Brasileira e Prêmio de Cultura do Governo do Rio de Janeiro e conquistou os prê­mios Carlos Gomes e Rumos Itaú com o Quarteto Radamés Gnattali, do qual é fundadora e primeiro violino.

Com uma reconhecida car­reira como camerista e solista, apresentou-se em importantes salas como o Carnegie Hall, Americas Society, Teresa Car­reño, Sala Cecilia Meireles, e viajou pelo Japão, Alemanha, Áustria, Venezuela, Colômbia, México, Paraguai, Suíça, África do Sul, Portugal, Espanha, Esta­dos Unidos divulgando a músi­ca brasileira de concerto.

Comentários