Vacinação de idosos deve atrasar

0
145
HÉLIDA MAGALHÃES/AMIGOS DA FOTOGRAFIA

A prefeitura de Ribeirão Preto anunciou que, como a imunização teve início nesta terça-feira, 19 de janeiro, a primeira etapa da campanha terminará em 16 de março, seis dias antes do prazo inicial, que era 22 de março. O prefeito Duarte Nogueira (PSDB) diz que a mudança ocorreu porque o início da vacinação foi antecipado, mas a falta de insumo para produção de vacinas deve atrapalhar o cronograma.

O Instituto Butantan diz que sem os insumos produzidos na China não poderá produzir a Coro­naVac. O governo do Estado anunciou na noite de ontem que o calendário original já foi cancelado. Ribeirão Preto também deve ser prejudicada. A cidade pretende vacinar 150.275 pessoas contra o coronavírus até 16 de março. A vacinação será fei­ta em duas doses, com o intervalo de três semanas entre a primeira e a segunda aplicação.

Mais doses devem chegar à cidade nesta quin­ta-feira (21) e a expectativa é que a imunização dos demais profissionais de saúde da linha de frente da covid-19 da rede pública (estadual e municipal) e da particular tenha início nesta semana, depois do fe­riado do Dia de São Sebastião, padroeiro da cidade, celebrado nesta quarta-feira (20).

Já a vacinação de idosos não tem data para começar. As doses devem chegar à cidade amanhã e fazem parte do lote de 1.349.200 doses liberado pelo o Ministério da Saúde, mas também não há confirmação por parte da Secretaria de Estado da Saúde, e nem se haverá ampolas suficientes para vacinar as pessoas com mais de 60 anos.

A prefeitura diz que a cidade já está preparada com logística, insumos e estratégias traçadas. O município conta hoje com cerca de 126 mil seringas e 150 mil agulhas, em estoque e utilizadas nas rotinas de atendimentos aos munícipes, mas já reservou espaço na Central de Vacinas para receber 760 mil seringas e agulhas da Secretaria Estadual de Saúde.

Dependendo da quantidade de doses da Coro­naVac – desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Life Science e produzida no Brasil pelo Instituto Butantan –, os idosos também serão imunizados nos postos, asilos e casas de repouso, mas a vacinação deste público-alvo nesta semana ainda não está garantida.

Ribeirão Preto tem 89 asilos e casas de repou­so. A imunização dos idosos com mais de 60 anos será feita de duas maneiras. Em 69 deles a vacina será aplicada pelos profissionais de enfermagem das próprias unidades. Já em outros 20 ela será feita em visitas programadas de profissionais de Secretaria Municipal da Saúde.

Em Ribeirão Preto, segundo a Secretaria Muni­cipal da Saúde, 84% dos óbitos foram de pessoas com 60 anos ou mais. No Brasil, este mesmo grupo é composto por 44 milhões de pessoas, ou seja, 21% dos brasileiros. Já os profissionais de saúde estão no grupo prioritário por trabalharem na linha de frente de combate à doença e no atendimento aos pacientes.

A previsão é imunizar o público-alvo determi­nado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e pelo Ministério da Saúde. A vacinação será feita em duas doses, com o intervalo de três sema­nas entre a primeira e a segunda aplicação.

O Plano Municipal de Imunização contra a Covid-19 contempla pontos fixos nas salas de va­cinação de 35 Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) da rede municipal de saúde e mais seis pontos alternativos. Um fica no Núcleo de Gestão Assis­tencial em Saúde (NGA), na rua Minas nº 895, nos Campos Elíseos (Zona Norte).

O sistema “drive thru” vai atender no estacio­namento do Estádio Santa Cruz (Botafogo), na Ri­beirânia (Zona Leste). Também haverá imunização nos postos fixos do RibeirãoShopping, no Jardim Califórnia (Zona Sul), e no Santa Úrsula Shopping, no bairro de Higienópolis (Central).

Também serão postos de vacinação o Centro Médico de Ribeirão Preto, localizado na rua Thomaz Nogueira Gaia nº 1.275, no Jardim Irajá (Zona Sul), e o Centro Social Urbano da Vila Virgínia, na rua Franco da Rocha nº 1.110, Zona Oeste. Os hospitais particu­lares da cidade e a Câmara de Vereadores também se ofereceram para dar apoio à campanha.

Fazem parte do público-alvo pessoas com mais de 60 anos de idade e profissionais de saúde. Este contingente foi escolhido por ter o maior número de provocadas pela covid-19. No Estado de São Paulo, os óbitos estão presentes em 77% das pessoas acima dos 60 anos e com comorbida­des. A vacinação será realizada de segunda-feira a sábado, das sete às 17 horas.

No total, trabalharão na imunização 606 profissionais de saúde. São 42 enfermeiros, 282 auxiliares de enfermagem e 282 agentes comu­nitários de saúde. Todo o processo de vacinação será controlado e registrado no Sistema Hygia do Sistema Único de Saúde (SUS).

Calendário original se não houver mudança
DIA 19 DE JANEIRO
Segunda dose em 9 de fevereiro *
Público-alvo
Profissionais de saúde dos
setores público, privado e filantrópico
Meta…………………………………………………….. 32.000 pessoas

DIA 8 DE FEVEREIRO
Segunda dose em 1º de março
Público-alvo
Idosos com 75 anos ou mais
Meta…………………………………………………….. 32.806 pessoas

DIA 15 DE FEVEREIRO
Segunda dose em 8 de março
Público-alvo
Idosos entre 70 a 74 anos
Meta…………………………………………………….. 21.269 pessoas

DIA 22 DE FEVEREIRO
Segunda dose em 16 de março
Público-alvo
Idosos de 65 a 69 anos
Meta’……………………………………………………. 28.663 pessoas

DIA 1º MARÇO
Segunda dose em 22 de março **
Público-alvo
Idosos de 60 a 64 anos
Meta…………………………………………………….. 35.537 pessoas
Total do público-alvo……………………………….150.275 pessoas

* Únicas datas já definidas
** Objetivo é terminar em 16 de março, seis dias antes