IVAN STORTI

O status de titular absoluto de Vanderlei no Santos sofreu um pequeno abalo em 2019. Embora venha mantendo essa condição com o técnico Jorge Sampaoli, o goleiro agora con­vive com a “sombra” de Éver­son, contratado recentemente, após pedido do treinador, por sua qualidade na saída de jogo com os pés.

Éverson recebeu três chan­ces desde que chegou ao San­tos, em dois jogos do Campeo­nato Paulista, contra Mirassol e Palmeiras, e no confronto com o América-RN pela Copa do Brasil, competição em que o ex-goleiro do Ceará deverá ser o titular. E não foi vazado em nenhum desses compromis­sos, tendo atuações seguras.

Esse cenário pode ser am­pliado nos próximos dias, pois o time já está classificado às quar­tas de final do torneio estadual, o que pode levar Sampaoli a rodar o grupo de jogadores do Santos nos compromissos com Novorizontino, na sexta-feira, e Botafogo de Ribeirão Preto, na próxima quarta.

Mas Vanderlei, que se de­finiu como “fominha”, espera não fazer parte desse rodízio, embora entenda a necessidade da comissão técnica de dar rit­mo de jogo a todo o elenco.

“Eu prefiro estar no gol sempre. Além de eu ser fo­minha, eu quero é jogar, ralo muito nos treinos. Mas sabe­mos que é importante todos jogarem. Quando o Éverson tem entrado, tem dado conta do recado. É importante dar chance para todos. E o Santos está bem servido em todos os setores”, disse, em entrevista coletiva no CT Rei Pelé, às vés­peras do duelo com o Novori­zontino no Pacaembu.

Vanderlei também mini­mizou o debate sobre quem deverá ser o goleiro titular do Santos e avaliou que Sampa­oli saberá escolher o melhor para o time. “A gente nun­ca vai agradar a todos, isso é normal do futebol. Essa questão é mais para a comis­são técnica. Eu procuro fazer o meu melhor. Independente­mente do que falem, tanto eu quando o Éverson trabalha­mos bem no dia a dia. O cara treina para jogar. Ajudar o Santos é o mais importante”, acrescentou o goleiro.

Comentários