Vânia Bastos vai cantar no Sesi-RP

0
59
VINÍCIUS CAMPOS

Vânia Bastos desembarca no Teatro do Sesi Ribeirão Preto em 6 de março, pri­meira sexta-feira do mês, às 20 horas, com o show “Vânia Canta Caetano”. A apresenta­ção marca o Dia Internacio­nal da Mulher. O espetáculo que começou turnê pelo Sesi da avenida Paulista teve in­gressos esgotados dias antes da apresentação.

Agora, chegou a vez de Ri­beirão Preto assistir ao show que carrega emoção, poesia e beleza. Neste espetáculo, des­taque para algumas composi­ções gravadas pela intérprete no CD “Vânia Canta Caeta­no”, lançado em 1992. No re­pertório estão pérolas como “Trem das cores”, “Trilhos urbanos”, “No dia em que eu vim-me embora”, “O leãozi­nho”, “Louco por você”, “Este amor”, “Peter Gast” e “Luz do Sol”.

O disco lançado em 1992, há 28 anos, alçou Vânia Bas­tos ao estrelato. Sucesso abso­luto de crítica e público. Traz o registro histórico da voz de Vânia Bastos e Caetano Velo­so, na poética canção “No dia em que eu vim-me embora”, em dueto comovente. A ar­tista será acompanhada de piano, violão e bateria.

Os ingressos podem ser reservados gratuitamente pelo sistema Meu Sesi (www.sesisp. org.br/meu-sesi) e deverão ser retirados na portaria com uma hora de antecedência. Fica na rua Dom Luiz do Amaral Mousinho nº 3.465, no Jardim Castelo Branco, na Zona Leste de Ribeirão Preto. O espetá­culo tem censura livre para todas as idades. Informações pelo telefone (16) 3603-7327. O local tem capacidade para receber 380 pessoas.

Vânia Bastos
Vânia Bastos começou sua carreira profissional no início dos anos 80 ao lado de Arri­go Barnabé, sendo solista de “Clara Crocodilo” – o disco marcante da chamada “Van­guarda Paulista”. Com Arrigo foi também a solista de “Tu­barões Voadores”. Durante dois anos cantou com Itamar Assumpção na Banda Isca de Polícia. Estes nomes pontifi­cavam em um circuito que gi­rava em torno de templos da música contemporânea como o Teatro Lira Paulistana.

Com mais de 30 anos de carreira, Vânia Bastos é consi­derada uma das mais impor­tantes vozes da MPB. Dona de timbre raro e interpre­tação singular, lançou doze discos que obtiveram ótimas respostas de crítica e públi­co. Alguns deles destacando a obra de Tom Jobim e Caeta­no Veloso, por exemplo. Foi a cantora do concerto inaugural da Orquestra Jazz Sinfônica. Teve participações especiais em seus discos de Ivan Lins, Milton Nascimento, Caetano Veloso e Edu Lobo.

Reabriu o Memorial da América Latina com a Jazz Sinfônica cantando com Elza Soares e Baby do Brasil, em 2017. Suas gravações fize­ram parte de trilhas sonoras de novelas da TV Globo e do SBT. Vânia Bastos ganhou o Prêmio Profissionais da Mú­sica 2017 pelo consagrado CD “Concerto para Pixingui­nha”, um marco na MPB. No momento está preparando disco novo apenas com no­vos compositores, um CD de músicas inéditas.