Transporte coletivo: ‘venda’ da Turb causa polêmica

0
801
ALFREDO RISK

O Sindicato dos Emprega­dos do Transporte Urbano de Ribeirão Preto (Seeturp) usou o Facebook para informar que a Turb – Transporte Urbano S/A encerrará suas atividades em Ribeirão Preto em 1º de fevereiro ou 1º de março. Se­gundo a entidade, a empresa aguarda apenas o final das ne­gociações envolvendo os em­pregados para deixar de operar o serviço de transporte público na cidade.

“Aos amigos, colegas e companheiros de trabalho da Turb. A empresa foi vendida (20% para Sertran e 10% para Rápido D’Oeste)”, diz um tre­cho da nota assinada pelo pre­sidente João Henrique Bueno. “Como todos já sabem, estou internado na UTI em isola­mento com covid-19 há alguns dias, mas tenho mantido con­tato via WhatsApp com os no­vos proprietários na busca de soluções. Infelizmente, come­çamos o ano com esse proble­mão”, completa Bueno.

“Mas fiquem tranquilos (claro que dentro do possí­vel), pois estaremos buscan­do soluções como sempre fa­zemos… Às vezes as batalhas são ingratas, demoram. Mas se olharem para o passado do seu sindicato, verá que foram muitas vitórias e essa não será diferente”, finaliza.

Empresa
A Turb – Transporte Ur­bano S/A foi fundada em 1º de janeiro de 2003 e é uma das operadoras do transporte cole­tivo urbano de Ribeirão Pre­to. De acordo com o site da empresa, possui uma frota de 106 ônibus que operam em 26 linhas convencionais, uma circular e oito alimentadoras.

“A cada mês, transporta­mos em média 780 mil passa­geiros pagantes e mais 520 mil passageiros gratuitos, perfa­zendo um total de um milhão e 300 mil. Nossa garagem pos­sui 14 mil metros quadrados, sendo 2.500 de área construí­da. Temos 267 colaboradores ativos”, informa o texto que no site da empresa.

O Tribuna entrou em con­tato com a assessoria da Turb para confirmar a venda da em­presa e a situação dos trabalha­dores, mas até o fechamento da matéria não obteve retorno. O Consórcio PróUrbano, grupo concessionário do transporte coletivo urbano – é formado pelas viações Rápido D`Oeste (40%), Transcorp (30%) e Turb (30%). Opera 118 linhas com 356 veículos na cidade. Desde maio de 2012 é o grupo con­cessionário do transporte em Ribeirão Preto.

Transerp
Por meio de nota a Em­presa de Trânsito e Transpor­te Urbano de Ribeirão Preto (Transerp), que gerencia o sistema de transporte e o trânsito na cidade, disse que não foi comunicada oficial­mente sobre a referida nego­ciação. “Ainda, informa que o serviço de transporte coletivo urbano está normalmente em operação e não há nenhuma perspectiva de interferência das atividades”.

Vereador do PDT quer explicações
O vereador Lincoln Fernandes (PDT) enviou ofício ao superin­tendente da Empresa de Trânsito e Transporte Urbano de Ribeirão Preto (Transerp), Marcelo Galli, pedindo explicações sobre a venda da Turb – Transporte Urbano S/A para a Sertran e Rápido D’Oeste.

O parlamentar pergunta se a empresa gestora foi informada sobre a negociação, qual o papel da Transerp perante a venda, se a empresa negociada informou sobre possíveis demissões, se a mudança fere o contrato en­tre o Consórcio PróUrbano e a prefeitura e se as novas empresas também passam a integrar o grupo concessionário.

O ofício é datado em 14 de janeiro. “Entregamos o ofício na quinta­-feira, estamos aguardando uma resposta ainda essa semana. Por requerimento seriam 15 dias para a Transerp responder, mas não estão havendo despachos de requerimen­to porque estamos em recesso”, informa a assessoria do vereador.

“É consórcio ou monopólio? Até que ponto essa venda da empresa vai refletir na qualidade e no custo do transporte público, os moto­ristas estão com o emprego em risco?”, indaga Lincoln Fernandes.