Projeto obriga veículos do transporte coletivo a ter adesivo no para-choque alertando que pegar rabeira em ônibus é crime

Um projeto de lei de Alessandro Maraca (MDB) quer obrigar os 356 ônibus do transporte coletivo de Ribeirão Preto – que cumprem 119 linhas por toda a cidade – a afixarem nos para-choques traseiros um adesivo com a frase “Pegar rabeira em ônibus é crime e gera perigo de morte”. O objetivo, segundo o vereador, é coibir, prevenir acidentes e conscientizar os ciclistas e motociclistas do perigo que representa a infração.

O adesivo deverá ser confeccionado de modo a permitir fácil visualização de dia e à noite para ciclistas e motociclistas que arriscam a vida no trânsito, segurando-se nos ônibus de transporte coletivo. O projeto está na pauta de votação desta terça-feira, 14 de maio, mas depende de parecer da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ).

Na justificativa, o parlamentar argumenta ainda que a medida tem o objetivo de evitar a prática de pegar rabeira por parte de ciclistas, principalmente, e também motociclistas que arriscam a vida no trânsito, segurando-se nos ônibus de transporte coletivo, valendo-se da velocidade dos veículos para trafegar sem esforço ou sem gastar combustível.

“Estas manobras são perigosas, pois eles seguram com apenas uma das mãos nos ônibus, sendo que a outra controla precariamente a moto ou a bicicleta. Qualquer movimento brusco do veículo que faz o ‘reboque’ põe fatalmente em risco a vida de quem está sendo rebocado e outros veículos que estão na via pública”, diz o texto.

Acidente fatal – Em 18 de outubro do ano passado, Ribeirão Preto registrou a terceira morte em cinco anos por causa da chamada “rabeira” – quando crianças, adolescentes e até adultos de bicicleta ou moto pegam “carona” em ônibus e caminhões. Ronald Gabriel da Silva Barros, de 12 anos, morreu ao ser atropelado por um ônibus do transporte coletivo urbano.

Segundo a Polícia Militar, o garoto subia a rua Vereador Antônio Nogueira de Oliveira, vindo da avenida Monteiro Lobato, no mesmo sentido do ônibus, e foi atingido quando o veículo fez a curva para acessar a rua Comandante Armando Marim. A iluminação precária no local teria dificultado a visão do motorista. Também chovia na região do Parque Ribeirão Preto.

O comissário do Juizado de Menores de Ribeirão Preto, Marcos Gomes, diz que a única maneira de evitar acidente deste tipo é com fiscalização constante. Ele disse à época que já promoveu várias blitze com o apoio da Polícia Militar e da Empresa de trânsito e Transporte Urbano (Transerp), principalmente na região da avenida Dom Pedro I, no Ipiranga, mas entende que essa prática deveria ser de rotina.

Comentários