Violonista de Franca é indicado ao Grammy

0
19

O músico Diego Figuei­redo, natural de Franca (SP), mas radicado nos EUA repre­sentará o Brasil no Grammy 2020. Ele e a cantora francesa Cyrille Aimée estão indica­dos na categoria de melhor arranjo, com a música Merry Me a Little.

É a primeira vez que o violonista envia um de seus materiais ao Grammy e já re­cebe a nomeação.

Nos EUA, Diego tem uma carreira consolidada em uma década. Aos 39 anos, ele já la­çou 26 CDs e se apresentou em mais de 60 países. Em territó­rio norte-americano, o músico de Franca tem feito em média 80 shows por ano, tornan­do-se o artista brasileiro que mais se apresenta na América do Norte atualmente.

A premiação do Grammy acontece em Los Angeles no dia 26 de janeiro no Stamples Center.

Sobre Diego
Gênio do violão e da gui­tarra, Diego Figueiredo é um dos maiores instrumentistas no cenário mundial atual. Foi premiado por duas vezes pelo Montreux Jazz Festi­val na Suíça (2005 e 2007) como um dos três maio­res guitarristas do mundo. Sua maneira única de tocar conquistou definitivamente o país do Jazz (EUA) onde Diego já realizou mais de dois mil concertos.

Seus espetáculos têm ar­rancado críticas nos mais importantes jornais do mun­do e impressionado as mais distintas plateias. Diego tem realizado diversas turnês pela Europa e EUA onde tem se apresentado nos maiores festivais de jazz do mundo. Ele já se apresentou junto de Gilberto Gil, Toquinho, João Bosco, Roberto Menescal, Angela Maria, Fafá de Belém, Renato Teixeira, Sérgio Reis, Sandra de Sá, Belchior, Mar­gareth Menezes, Carlinhos Brown, Luiz Caldas, Edura­do Araújo, Geraldo Azevedo, Osvaldo Montenegro, Ke­nny G, Larry Corryel, John Hart, Terrel Stafford, John Clayton, Cyrille Aimée, Matt Wilson, Antony Wilson, Ken Peplowski, Lewis Nash, Ta­mir Heldelman, Jeff Hamil­ton, Janis Seagel (Manhattan Tranfer), Stacey Kent, Wycliff Gordon, entre muitos outros.

Com seu jeito único de to­car unindo a música brasilei­ra ao jazz, Diego Figueiredo conquistou admiradores do calibre do ator e diretor Ro­bin Willians, do humorista Mort Sahl, e de artistas como Kenny G, George Benson, Pat Metheny e Al Di Meola. Seus discos foram lançados em pa­íses como Japão, China, EUA, Canadá, Suécia, Noruega, Alemanha, Portugal, França, Dinamarca, Espanha, Chile, Argentina, Bolívia e México