ALESSIO VILLAN/REUTERS

Após duas explosões de grande porte na quarta-feira, 3 de julho, o vulcão Stromboli, de 924 metros, provocou a morte de uma pessoa e deixou alguns feridos na ilha de Ginostra, no sul da Itália. “Infeliz­mente morreu um jovem, há algumas pessoas feridas, mas que não causam preocupação”, informou o porta-voz da Proteção Civil do país, Calogero Foti.

Segundo a agência italiana AGI, o morto é um siciliano de 35 anos que acompanhava um amigo brasileiro na trilha que leva ao topo do vulcão. O brasileiro teria sido encontrado desidratado e em estado de choque. Cerca de 70 pessoas, turistas e residentes, foram retirados da região, após a chegada das equipes de resgate de toda a Sicília.

Dois navios militares atracaram na ilha, para o caso de ser necessá­ria uma retirada geral, mas a situação foi logo controlada. O Strom­boli é um dos vulcões mais ativos do mundo desde 1932 e sua última erupção forte havia sido registrada em 1985, segundo o Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (INGV).

Serviços de resgate disseram que a erupção desencadeou incêndios do lado ocidental da pequena ilha do Mediterrâneo, situada ao norte da Sicília. Bombeiros de localidades próximas foram convocados, e um avião entrou em ação. O turista que morreu foi atingido por pe­dras durante uma caminhada, de acordo com um agente de resgate.

“Vimos a explosão do hotel. Houve um barulho alto”, disse Michela Favo­rito, que trabalha em um hotel próximo de Fico Grande, do lado leste da ilha.”Tapamos os ouvidos, e depois disso uma nuvem de cinzas caiu so­bre nós. O céu todo está cheio de cinzas, uma nuvem bem grande”, disse ela à Reuters. Fiona Carter, turista britânica presente na ilha de Panarea, a cerca de 27 quilômetros de Stromboli, também ouviu o estrondo.

“Viramos e vimos uma nuvem vindo de Stromboli. Todos ficaram choca­dos. Depois uma lava incandescente começou a descer pela montanha na direção do pequeno vilarejo de Ginostra”, disse ela. “A nuvem au­mentou, branca e cinza. Ela envolveu Ginostra, e agora cobriu Stromboli totalmente. Vários barcos partiram para Stromboli”, acrescentou.

É comum turistas escalarem o pico de 924 metros do vulcão e observar sua cratera, de onde pequenas rajadas de rocha derretida ir­rompem com frequência. Não ficou claro se havia alguém na cratera no momento da explosão mais recente.

Comentários