Yuri diz que Botafogo não estava ‘dentro do normal’

0
59

O meia Yuri disse nesta terça­-feira que a derrota para o Ope­rário-PR, por 3 a 1, no domingo (27), em Ponta Grossa, deve ser­vir como alerta para o Botafogo. Segundo ele, a equipe não pode ‘ficar de luto’ por isso, pois no do­mingo (3) terá pela frente o Ypi­ranga, em Erechim. “A gente foi alertado para o jogo aéreo e a bola parada deles, mas mesmo assim sofremos três gols com essas ca­racterísticas”, afirmou.

Para o atleta, pior que a der­rota foi a atuação do time, que esteve bem abaixo daquilo que poderia render, mesmo jogando fora de casa. Yuri destacou que a derrota em Ponta Grossa reve­lou a quem não conhecia o que é a Série C. “Não podemos oscilar entre uma partida e outra, preci­samos manter a concentração e ter a consciência de que, contra o Botafogo, todos os adversários se preparam muito e procuram ter boas atuações”, disse.

Outro ponto destacado em sua entrevista coletiva foi quan­to às rodadas, com uma sema­na entre um jogo e outro. Na opinião do jogador, isso acaba por interferir na concentração da equipe, situação que pode alterar o desempenho de um jogo para outro. “Você faz três treinos, tem tempo suficiente até a próxima rodada e isso afe­ta o foco”, admitiu.

Para ilustrar o que isso sig­nifica citou a Série B, onde são disputadas duas partidas por semana, o que mantém os ti­mes mais concentrados. “Às vezes fica confortável jogar apenas uma vez por semana, mas isso é ilusório e precisa ser olhado com mais atenção, para que não sejamos surpreendidos como fomos contra o Operá­rio”, analisou.

O meia também lembrou que o Botafogo, mesmo tendo aberto o placar, não conseguiu impor o ritmo de jogo e que o domínio passou a ser do adversário. “Tí­nhamos dificuldades em sair lá de trás e manter a bola na frente. Comentei isso com o Jheimy du­rante a partida, mas não conse­guimos propor o jogo”, lembrou.

Yuri disse que conseguia fa­zer a leitura da partida, mas que o Botafogo ‘não estava dentro do normal’. Ele afirmou que o técnico Léo Condé dá liberdade para os jogadores encontrarem soluções dentro da partida, mas que nada funcionou em Ponta Grossa. “Temos o Ypiranga, fora de casa, e depois o Tombense, no Santa Cruz. Vamos correr atrás desses seis pontos”, finalizou.

Comentários