Bolsonaro reafirmou que vetará o fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões aprovado pelo Congresso Nacional na semana passada - Foto Marcelo Camargo/Ag.Br

Hotsite trará a resposta de cada um dos 20 deputados mais votados de Ribeirão Preto em 2018 sobre o aumento 285% no fundo e sobre a transparência na votação

Oito entidades representativas de Ribeirão Preto lançaram um movimento questionando cada um dos 20 deputados federais eleitos que mais receberam votos no município sobre seu posicionamento com relação ao aumento bilionário no Fundo Especial de Financiamento de Campanha, conhecido como Fundão Eleitoral.

Na votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2022 (PLN nº 3/21), realizada em 15 de julho, o Congresso Nacional elevou o valor do financiamento público das campanhas eleitorais em 285%, para até R$ 5,7 bilhões. O projeto, amplo, foi votado sem destacar especificamente o Fundão. Diante disso, não é possível distinguir a posição de cada congressista sobre o tema.

Como o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) já sinalizou que irá vetar o aumento, o Fundão voltará a ser debatido pelo Congresso Nacional, agora destacado do restante da LDO. Com base nisso, as entidades solicitaram explicação sobre a posição de cada deputado, que será publicada em um hotsite.

As entidades solicitaram ainda que os deputados se comprometam a realizar ações para que discussões futuras relacionadas ao financiamento de campanha sejam transparentes, com votação em destaque e nominal, bem como para que o Fundo Eleitoral não ultrapasse o montante reservado em 2018, de R$ 1,7 bilhão.

Os 20 deputados receberam juntos 125 mil votos dos ribeirão-pretanos em 2018. Entre eles estão Ricardo Silva (PSB), Eduardo Bolsonaro (PSL), Joice Hasselmann (PSL), Baleia Rossi (mdb), Kim Kataguiri (DEM), Tiriricam (PL), Roberto Alves (PV), Capitão Augusto (PL), Marco Feliciano (PSC) e Tabata Amaral (PDT).

Os outros são Samia Bomfim (Psol), Katia Sastre (PL), Ivan Valente (Psol), Vinicius Poit (Novo), Celso Russomanno (Republicanos), Arnaldo Jardim (Cidadania), Alexandre Frota (PSDB), Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL), David Soares (DEM) e Carlos Sampaio (PSDB).

Participam da campanha a Associação Comercial e Industrial (Acirp), Associação das Empresas de Serviços Contábeis de Ribeirão Preto e Região (Aescon-RP), Associação das Incorporadoras, Loteadoras e Construtoras (Assilcon), Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL-RP), Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp-RP), Instituto Ribeirão 2030, Observatório Social  e Sindicato do Comércio Varejista (Sincovarp).

Fundo eleitoral – Bolsonaro reafirmou que vetará o fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões aprovado pelo Congresso Nacional na semana passada. O fundo de financiamento de campanha foi criado após a proibição do financiamento privado, em 2015, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), sob o argumento de que as grandes doações empresariais desequilibram a disputa eleitoral.