Oferta de voos cresce em RP

0
128
JF PIMENTA/ARQUIVO

O Aeroporto Estadual Dou­tor Leite Lopes, em Ribeirão Pre­to, registrou aumento de 15,5% na oferta de voos no segundo se­mestre do ano passado em com­paração com o mesmo período de 2018, como efeito da redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o querosene de aviação no Estado de São Paulo.

A região fechou o semestre com 3.922 frequências aéreas (uma média de 20 por semana), ante 3.396 de julho a dezembro de 2018. É o que mostra levan­tamento feito pelo Centro de Inteligência da Economia do Turismo (Ciet), da Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo, em parceria com a As­sociação Brasileira de Empresas Aéreas (Abear) e a Agência Na­cional de Aviação Civil (Anac).

Atualmente, o aeroporto de Ribeirão opera voos para 14 ci­dades brasileiras em dez estados. Com exceção dos principais ae­roportos paulistas – Congonhas, Guarulhos e Viracopos –, o Leite Lopes tem a maior conectivida­de do estado. As companhias Azul, Gol, Latam e Passaredo abriram 676 novas frequências aéreas semanais a partir dos ae­roportos paulistas.

O resultado ultrapassou em 38% o compromisso assumido inicialmente pelas empresas de criar 490 novas frequências após a redução do imposto. “Esse re­sultado demonstra a correção da medida adotada pelo Governo do Estado, que está distribuindo desenvolvimento por todas as regiões”, diz Vinicius Lummertz, secretário estadual de Turismo. O aumento da oferta teve im­pacto em todo o Brasil, com no­vas frequências para 21 estados e o Distrito Federal.

No interior paulista, três no­vos aeroportos passaram a rece­ber voos regulares: Araraquara, Barretos e Franca, totalizando dez regiões atendidas, sem con­tar Campinas, Guarulhos e a ca­pital. Mais três estão em previsão para 2020: Guarujá, São Carlos e Votuporanga – todas dependen­do de obras de infraestrutura a serem feitas pelas prefeituras ou pelo Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp).

Sete novos aeroportos de outros estados passaram a rece­ber voos de São Paulo: Guara­puava (Paraná), Montes Claros e Uberaba (Minas Gerais), Rio Branco (Acre), Macaé e Jacare­paguá (Rio de Janeiro) e Sinop (Mato Grosso). Segundo infor­mações disponibilizadas no site do Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Da­esp) – autarquia vinculada à Secretaria Estadual de Logística e Transportes –, gestor do Lei­te Lopes e mais 20 aeroportos paulistas, o aeródromo ribei­rão-pretano lidera o ranking em número de embarques e de­sembarques de passageiros.

Entre janeiro e novembro do ano passado, passaram pelo Leite Lopes 835.661 pessoas, 88.957 somente em novem­bro, alta de 25% em relação ao mesmo período de 2018. Ribeirão Preto também ocupa a segunda posição no ranking de pousos e decolagens de ae­ronaves, com 25.950 em onze meses e 2.482 em novembro, aumento de 12%. Em toda a rede do Daesp, foram regis­trados 2.215.947 embarques e desembarques em onze meses e 225.313 em novembro. A quantidade de pousos e decola­gens ficou em 130.256 no ano e 12.067 em novembro.