Agrishow enfatiza o avanço tecnológico

0
279

Em 2017, o agronegócio brasileiro foi novamente o pro­tagonista da economia nacio­nal. Com uma safra recorde de grãos que atingiu o patamar de 237,7 milhões de toneladas, o setor avançou 13% ano passado, sendo o grande impulsionador do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Neste ano, a expecta­tiva da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) é que a safra chegue a 226 milhões de toneladas, segunda maior safra de todos os tempos, perdendo apenas para 2017.

A manutenção da produ­ção agrícola contribuirá para a retomada da economia e, ao mesmo tempo, para garantir a oferta de alimentos de alta qualidade no país e no mundo. Neste panorama de protago­nismo e liderança, o setor do agronegócio estará reunido en­tre 30 de abril e 4 de maio, no Polo Regional de Desenvolvi­mento Tecnológico dos Agro­negócios do Centro-Leste, em Ribeirão Preto, para a realiza­ção da 25ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação (Agrishow 2018)

Considerado o principal evento tecnológico e de negó­cios do agronegócio na América Latina e mais importante vitrine de tendências para o segmento, o evento apresentará novidades em máquinas, implementos agrícolas, sistemas de irrigação, insumos, sistemas para agri­cultura de precisão, soluções de monitoramento e automação, acessórios, peças, serviços e ou­tros produtos de 800 marcas, do Brasil e do exterior.

“Os visitantes terão a oportu­nidade de ver inovações tecnoló­gicas, tanto na Arena do Conhe­cimento, quanto nos estandes dos expositores, pois hoje a Agrishow está plenamente alinhada com as mais avançadas tecnologias. Exemplo disso é a conectividade presente atualmente na maioria das máquinas expostas na feira”, afirma Francisco Matturro, pre­sidente da Agrishow, que par­ticipou de coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 28 de março, em São Paulo.

Os mais de 150 mil visitan­tes de 70 países esperados pela organização poderão encontrar todas as soluções necessárias para aumentar sua produtivi­dade, melhorar sua eficiência na plantação e colheita de di­versas culturas, diminuir custos, economizar recursos naturais e insumos, obter um melhor ma­nejo de suas pastagens e garantir a sustentabilidade ambiental de sua lavoura ou pastagem.

Além disso, o público visitante da Agrishow 2018, formado por agricultores e pecuaristas, profis­sionais, empresários e técnicos da cadeia produtiva, representantes das entidades setoriais, pesquisa­dores, autoridades, lideranças go­vernamentais e membros de ór­gãos e secretarias públicas, pode planejar sua visita de maneira mais assertiva, agendando reuni­ões importantes com fornecedo­res, porque os expositores estão organizados de forma estratégica, divididos por setor.

Entre as áreas estão: agri­cultura de precisão, agricultura familiar, armazenagem (silos e armazéns), corretivos, fertilizan­tes, defensivos, equipamentos de segurança (EPI), equipamentos de irrigação, ferramentas, im­plementos e máquinas agrícolas, máquinas para construção, pe­ças, autopeças, pneus, pecuária, produção de biodiesel, sacarias e embalagens, seguros, sementes, software e hardware, telas, ara­mes, cercas, válvulas, bombas, motores e veículos (pick ups, caminhões e utilitários, além de aviões agrícolas).

Os ingressos já estão à ven­da. Basta acessar o site oficial do evento (www.agrishow.com.br) e seguir as informações e instru­ções para a compra online, com desconto. Para quem comprar via internet, o valor cai de R$ 50 (preço na bilheteria) para R$ 40. O pagamento pode ser feito via cartão de crédito. Quem adqui­rir o tíquete no guichê da feira terá de pagar com dinheiro ou cartão de débito.

Não será permitida a entrada de menores de 14 anos desacom­panhados pelos pais e/ou res­ponsáveis. Para os visitantes que forem de carro ou moto à feira, o valor do estacionamento é de R$ 45. Para as caravanas e grupos, a Agrishow 2018 disponibiliza um sistema especial de venda de in­gressos antecipados.

Segundo Matturro, a expecta­tiva é que o volume de negócios cresça entre 5% e 8% neste ano, quando o evento vai completar 25 anos. Em 2017, a 24ª edição fechou com balanço positivo e faturamento estimado em R$ 2,2 bilhões, cerca de 13% acima do resultado de 2016, de R$ 1,95 bi­lhão – aporte de R$ 250 milhões. Para 2018, segundo o presidente, a estimativa de vendas está entre R$ 2,31 bilhões e R$ 2,38 bilhões, entre R$ 110 milhões e R$ 180 milhões a mais.

No ano passado, o públi­co aumentou 4,6%, de 152 mil pessoas em 2016 para 159 mil, sete mil a mais. As mais de 800 marcas expositoras nacionais e internacionais ressaltaram a qua­lificação dos visitantes, formada, sobretudo, por compradores e produtores rurais de pequeno, médio e grande portes do Brasil e do exterior. Foram 12 comprado­res estrangeiros, que durante três dias reuniram-se com 38 empre­sas brasileiras, em uma ação de promoção comercial que resultou em cerca de 300 reuniões e mais de US$ 17 milhões, entre negó­cios fechados e futuros para os próximos doze meses.

O evento é uma iniciativa das principais entidades do agrone­gócio no país – Associação Bra­sileira do Agronegócio (Abag), Associação Brasileira da Indús­tria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda), Federação da Agricultura e da Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp) e Sociedade Rural Brasi­leira (SRB), e é organizado pela Informa Exhibitions, filial do In­forma Group, maior organizador de eventos, conferências e treina­mentos do mundo.

Comentários